segunda-feira, 4 de julho de 2016

AS TOLICES DE GARY FISHER


Mostraremos, abaixo, Jesus santificando os sábados; a Igreja Primitiva santificando os sábados e até a Igreja do apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus, levando quase toda a cidade a louvar aos sábados (e nunca um só domingo).

As Raízes da Igreja e a História Universal comprovam que os cristãos guardaram o sábado até o ano 364 de nossa era, ou seja: 332 anos após a Ressurreição de Jesus, pois no ano 364 de nossa era, o Papa Libório (marcação católica) convocou um concílio católico, denominado CONCÍLIO DE LAODICÉIA, e o resultado foi a decretação da PROIBIÇÃO DA GUARDA DO SÁBADO  a favor do domingo da Ressurreição de Jesus aos cristãos e ainda foram decretados severos castigos a todo e qualquer cristão que ousasse continuar a guardar e santifica os sábados.


O professor de História Eclesiástica Edward Brerewood, do Gresham College, Londres, afirma:


“O sábado foi religiosamente observado na Igreja do Oriente, durante mais de trezentos anos depois da paixão do Salvador.” Fonte: “Learned Treatise of the Sabbath”, pág. 77.


O puritano William Prynne confessa francamente: “O sábado do sétimo dia foi observado por Cristo, pelos apóstolos e pelos primeiros cristãos até que o Concílio de Laodicéia, século Quarto, há certos respeitos como o que aboliu a sua observância. O Concilio de Laodicéia decidiu, em primeiro lugar, a observância do Dia do Senhor, no caso o domingo, e em seguida proibiu sob pena de maldição a observância do sábado judaico.”  Fonte:  “História dos Concílios”, par. 38, pág. 163, tudo isso para não se parecer, em nada, aos judeus. Assim o forte vínculo que o papado romano tinha com os judeus foi abolido, sob aplausos de Satanás. Que havia maquinado bastante para isso! 

Esse movimento que visava a derrocada do sábado de Deus já vinha sendo pleiteado havia tempos, e o grande motivo era que os bispos católicos, por puro ódio aos judeus, não concordavam em guardar o mesmo dia que eles. Como os israelitas judeus preferiam a morte a anular os sábados sagrados, os bispos, em sua concepção satânica que sempre esteve com eles, ousaram proibir o povo cristão de guardar os sábados santos e abençoados de Deus. 

Ainda bem que na história do cristianismo sempre houve os REMANESCENTES, os que preferiam guardar fielmente a Palavra de Deus Escrita, mesmo com todas as dificuldades do mundo, até hoje. 2017.




Por que em meu blog acima eu escrevi NOSSOS IRMÃOS?

Porque o Espírito Santo de Deus revelou, por 14 vezes na Bíblia, que o Senhor Deus não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são iguais perante ele, e em EFÉSIOS está Escrito que Deus derrubou a parede que nos separava de Israel, dos judeus, a favor de UM SÓ POVO:

“Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio”,  Efésios 2:14

"Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a Verdade".    1 João 2:3 - 4


Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:

http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27


Esse tal Gary Fisher é um tolo em termos de interpretação Bíblica. As letras em Maiúsculas foram escritas por ele. As Minúsculas são minhas respostas.  Meu blog que tem tudo a ver com o  Quarto Mandamento da Lei de Deus:



 http://asseteverdadessobreosabado.blogspot.com.br/

Antes de entrar nas colocações de Fisher, é necessário um Prefácio:


   Existem, no Evangelho, duas grandiosas revelações que não foram escritas, mas são facilmente compreendidas. Confira. Pois todo cristão deve tomar conhecimento.

Por sinal, essas duas revelações já respondem a todas as colocações do Gary Fischer, pois certamente TODAS ficam sem efeito. Confira:
PRIMEIRA REVELAÇÃO

A respeito de sábados ou domingos, se tivesse havido uma declaração dos apóstolos de Jesus, mais ou menos assim:  

“Irmãos, pela grandiosidade da Ressurreição de nosso Mestre, Jesus Cristo, que já subiu ao Reino de Deus Pai, a partir de hoje vamos abolir o sábado e passar a guardar o domingo”, 

Algo assim não teria sido nada fácil a aceitação dos cristãos, principalmente dos judeus convertidos ao cristianismo, incluindo também dos fariseus da Torah que teriam realizado altos protestos que levaria à morte quem propagasse que o sábado "já era", pois por muito menos tentaram matar Jesus antes da hora.

Se tivesse havido algo assim no Evangelho, pois em seus 40 dias na Terra depois de sua Ressurreição, JESUS NADA DISSE SOBRE SUA RESSURREIÇÃO INFLUIR NA PALAVRA DE DEUS QUE  ORDENA GUARDAR O SÁBADO, e se mesmo assim os apóstolos tivessem tentado fazer mudar a tradição, muitas vezes secular, da santificação do sábado pela maioria dos cristãos originários de Israel, isso teria obrigatoriamente de ter passado por muitas reuniões para discussão, certamente acaloradas -- e ouso dizer até violentas --, sobre esse tema que seria de impossível aprovação. 

Portanto, um evento desse porte, de suma importância, pois envolveria a Desobediência proposital  a um dos Mandamentos de Deus cravado nas Rochas Sagradas e, pela mais que secular tradição da guarda do sábado, sacratíssimo para os judeus  cristãos que formavam a maioria da Igreja Primitiva de Jesus, não haveria como não ter um período de TRANSIÇÃO! É ou não é? Vamos a todos os detalhes:

A (impossível) TRANSIÇÃO DA GUARDA DO SÁBADO PARA O DOMINGO.

Aos irmãos domingueiros eu pergunto:

Aos que julgam que a Ressurreição de Jesus foi motivo para acabar com os santos e solenes sábados do Senhor, se isso pudesse ter acontecido,  pergunto: 

 Quando teria se passado a TRANSIÇÃO do sábado para o domingo?   

Um evento desse porte, pois coloca em Xeque a Palavra Viva de Deus, teria de ter havido um período de transição, pois jamais teria sido possível induzir, facilmente, principalmente os cristãos advindos da tradição israelita a cessarem subitamente a santificação dos sábados apenas por conta de uma decretação a respeito pelos apóstolos de Jesus, e se isso tivesse sido possível (impossível)  TERIA DE TER HAVIDO, OBRIGATORIAMENTE,  UM PERÍODO DE TRANSIÇÃO, o que certamente teria ocasionado revoltas, altíssimos protestos, brigas, inconformismo, descrença, pois uma agressão dessas aos Mandamentos de Deus Pai promulgados no Monte Sinai, tentando "lixar" das Rochas Sagradas das Leis o Mandamento do sábado SANTO E BENDITO, a aceitação a essa irregularidade gravíssima teria sido IMPOSSÍVEL!!! 

Se tivesse havido uma declaração dos apóstolos de Jesus, mais ou menos assim:  

“Irmãos, pela grandiosidade da Ressurreição de nosso Mestre, Jesus Cristo, que já subiu ao Reino de Deus Pai, a partir de hoje vamos abolir o sábado e passar a guardar o domingo”.

Se tivesse havido algo assim no Evangelho, pois em seus 40 dias na Terra depois de sua Ressurreição, JESUS NADA DISSE SOBRE SUA RESSURREIÇÃO INFLUIR NA PALAVRA DE DEUS QUE  ORDENA GUARDAR O SÁBADO, e se mesmo assim os apóstolos tivessem tentado fazer mudar a tradição, muitas vezes secular, da santificação do sábado pela maioria dos cristãos originários de Israel, isso teria obrigatoriamente de ter passado por muitas reuniões para discussão, certamente acaloradas -- e ouso dizer até tremendamente violentas --, sobre esse tema que ao final se revelaria como sendo de IMPOSSÍVEL APROVAÇÃO. 

Portanto, um evento desse porte, de suma importância, pois envolveria a Desobediência proposital  a um dos Mandamentos de Deus cravado nas Rochas Sagradas e, pela mais que secular tradição da guarda do sábado, sacratíssimo para os judeus  cristãos que formavam a maioria da Igreja Primitiva de Jesus, não haveria como não ter um período de TRANSIÇÃO! É ou não é? Vamos a todos os detalhes:
Todos os cristãos judeus e não judeus teriam aceitado, passivamente, o corte do mandamento do sábado? Eu mesmo respondo: NUNCA! JAMAIS, EM TEMPO ALGUM!

Se tivessem aceitado essa difícil situação de passar a DESOBEDECER A DEUS em seu principal mandamento, quando e onde teria acontecido A TRANSIÇÃO do sábado para o domingo? 

No sábado seguinte à ressurreição de Jesus, mesmo ele tendo permanecido na Terra por mais 40 dias?

Uma semana depois da Subida de Jesus ao Reino de Deus Pai? Um mês depois? Um ano depois?  

Eu mesmo respondo: NUNCA!!! Nunca houve transição alguma, pois se a História da Igreja registra que os cristãos guardavam o sábado ATÉ  NO ANO 364 depois de Cristo, onde aconteceu o Concílio de Laodicéia, que finalmente determinou a abolição do sábado na Igreja a favor do domingo, não houve nenhuma interrupção quanto à santificação do Sétimo Dia.   Então, segundo a total e indiscutível lógica evangélica, os cristãos continuaram a guardar e santificar fielmente os sábados,  pelo menos até o ano 364,  da proibição.  FONTE:



A História dos Concílios.   Álvaro Huerga. Histori vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart),a de los alumbrados.  Espanha, 1978.

A História das Raízes da Igreja revela, segundo os livros abaixo, que  por ódio dos judeus  e por isso mesmo para diferenciar os cristãos dos judeus, o clero resolveu, pelo Concílio de Laodicéia e assinado pelo Papa Libório (pela contagem católica) , um decreto que proibiu, de modo absolutamente irrevogável, irretratável e irreversível, a guarda do sábado, trocando-o pelo do domingo, e ainda decretou castigos aos que teimassem em continuar sabatistas.  PORTANTO NÃO HOUVE TRANSIÇÃO ALGUMA APÓS A RESSURREIÇÃO DE JESUS, mesmo depois de ele ter subido ao Reino de Deus Pai.

Então, até segundo a História da Igreja,  os cristãos da Igreja Primitiva continuaram a guardar os sábados até o ano 364, o que anula definitivamente as declarações dos domingueiros que os apóstolos de Jesus guardavam o tal domingo.

Foi aí, sim, no ano 364, que houve um breve período de TRANSIÇÃO, pois nem todos concordaram com o resultado do Concílio de Laodicéia. imposto à força,  resultado certamente orquestrado pelo próprio Satanás em seu maior feito, pois antes já havia  "anulado" o Mandamento de Deus que proíbe a idolatria.  Satanás "conseguiu"  "Riscar" das Rochas Sagradas das leis de Deus o seu mais amado mandamento, nomeado por ele como Santo e Bendito e ainda instituído como UM SINAL entre ele e a Humanidade, já que Está Escrito que não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são iguais perante ele:  Romanos 10:12.  Romanos 2:11.   Atos 10:34.  Atos 3:24  Efésios 2:14.

E nesse período de transição após o Concílio de Laodicéia, houve aqueles que NÃO TOMARAM CONHECIMENTO do resultado do tal concílio, pois se mantiveram fiéis ao Senhor não aceitando a mudança proposta. Esse foram os REMANESCENTES, que sempre estiveram presentes e sempre fiéis todas as vezes que a Palavra de Deus foi agredida:

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

 Então, domingueiros, essa história de que os apóstolos de Jesus santificavam os sábados está mais furada que uma peneira de arames bem finos e bem separados.

Jeovah MENDES. Os piores assassinos e hereges da história. 1997.
O Papa e o Concílio. De Tayne, Historiador da Literatura Inglesa. Coroado pela Acad. Francesa.
Earle E CAIRNS. O cristianismo através dos séculos.  1977.
Eamon Duffy. Santos e Pecadores.
Ralph WOODROW.  Babilônia: a religião dos mistérios.
Ernesto L. Oliveira: Roma, a Igreja e o Anticristo.

Álvaro Huerga. Histori A História dos Concílios, vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart),a de los alumbrados.  Espanha, 1978.


O apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus, levando quase toda a cidade a louvar aos sábados ao ar livre, pois não caberia num salão:

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja por ver quase toda a cidade a louvar os sábados  ao AR LIVRE, pois não caberia nem num grande templo, então não se tratava, indiscutivelmente de uma reunião judia aos sábados, mas sim de um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável.  



SEGUNDA REVELAÇÃO


Há mais uma fortíssima revelação no Evangelho, muito importante, que não concede refutação alguma  -- se estiver presente a honestidade --, que NÃO ESTÁ ESCRITA, mas que é altamente reveladora, que indiscutivelmente PROVA biblicamente que o tal domingo nunca existiu no Evangelho como Dia de Guarda e Santificação.
 Basta RACIOCINAR para entender essa Verdade. E essa colocação é tão cristalina, tão evidente, tão esclarecedora e conclusiva que não é necessário nenhum esforço de raciocínio para abraçar a Verdade que revela que para o Senhor Deus o sábado é para sempre. Vamos a ela:
 A Verdade de Deus no Evangelho nos mostra que os judeus, em geral, principalmente os fariseus, escribas  e príncipes do templo não aceitavam, em hipótese alguma, agressões à sua mais que secular tradição. Por isso, os fariseus se rebelaram quando notaram os apóstolos de Jesus tomar as refeições sem que antes lavassem as mãos. E isso ficou registrado no Evangelho. (Atenção para esse detalhe)
 Os fariseus protestaram forte apenas pelo fato de os apóstolos de Jesus tomarem as refeições sem lavar as mãos, e isso ficou registrado no Evangelho,    assim também como ficou registrado no Evangelho o protesto dos fariseus quando perceberam que num sábado os apóstolos de Jesus colhiam espigas para matar a fome, então,  por conta disso,  imagine, então, os fortes protestos e as terríveis consequências que certamente ocorreriam se os apóstolos de Jesus tivessem apenas ousado sugerir que a partir da Ressurreição de Jesus o Santo e Solene sábado de Deus seria trocado pelo domingo,   o que só veio a acontecer quando o clero de Satanás, na pessoa de seu papa Libório, pelo Concílio de Laodicéia, ano 364,  por puro ódio dos judeus proibiram o sábado  a favor do tal domingo e ainda decretadas perseguições a todo aquele que teimasse continuar com o sábado. 

Fontes:

A História dos Concílios.   Álvaro Huerga. Histori vol. XIV, col 109, por Labbe e Cossart),a de los alumbrados.  Espanha, 1978.

 Se apenas um só dos apóstolos tivesse ousado sugerir que o sábado "já era",  teria provocado  um escândalo de tamanha proporção que certamente estaria devidamente registrado nas Escrituras, pois nos revelaria fortíssimas revoltas judias, uma verdadeira revolução religiosa que poderia até ter ocasionado mortes, pois por muito menos tentaram, por várias vezes, assassinar Jesus por conta de os fariseus julgarem que ele violava os sábados santos e por revelar que era o Filho de Deus Vivo. 
 Segundo a tradição israelita, se qualquer um dos  apóstolos tivesse apenas sugerido tal mudança insensata, absolutamente inconsequente -- segundo Jesus em Mateus, 5.17 até 28 --, teriam sido arrastados pelas ruas e apedrejados em praça pública por uma multidão enfurecida, pois por muito menos apedrejaram Estêvão e perseguiram Jesus jurando-o de morte, apenas por ter curado num sábado e por ter-se identificado como o Filho de Deus vivo. Ou será que você acha que não? Medite sobre isso e concluirá pela lógica irreversível que o dia do sábado era, e é "imexível"!!
Então, se não há um só registro de graves protestos contra um só dos apóstolos de Jesus por ter ousado ensinar ou apenas por ter ousado sugerir que o tal domingo viera a substituir o sábado, apenas por isso,  facilmente se entende que NUNCA EXISTIU O TAL DOMINGO NO EVANGELHO como o Dia do Senhor, nem jamais poderia, pois Jesus bradou que o Universo inteiro e os céus poderão ser destruídos antes que das leis do Pai se consiga retirar um simples til, mas os fariseus modernos e até hipócritas de hoje, incrivelmente se opondo a Jesus e à sua Verdade, pretendem retirar das leis de Deus os 405 caracteres que formam o Quarto Mandamento do Sétimo Dia. 

Sobretudo, o Quarto Mandamento é o único nomeado pelo Criador como Santo e Abençoado, e ainda instituído como Um Sinal entre Deus Pai e a Humanidade, já que está bastante repetido no Evangelho que ele, o Senhor, não faz distinção de pessoas, pois todos são iguais perante ele, e em Efésios 2:14 revela que a parede que nos separava dos israelitas FOI DERRUBADA a favor da existência de UM SÓ POVO DE DEUS.  Romanos 10:12.  Romanos 2:11.   Atos 10:34.  Atos 3:24  Efésios 2:14.


 O apóstolo Paulo foi alvo dessa fúria judia e quase foi morto por isso, mas essa revolta judia NÃO aconteceu por ensinar contra o sábado, pois se isso tivesse acontecido, fatalmente Paulo teria sido linchado, esfacelado, de modo pior que quando já o haviam apedrejado noutra ocasião (Atos 14:19) 

Esse escândalo dos fariseus aconteceu  porque Paulo ousava ensinar uma doutrina que se opunha às leis da tradição israelita, de seus pais, tal como a Circuncisão da carne, os sacrifícios de animais nos templos, a lei da segregação racial, a lei da morte a pedradas, a lei do chicote e outras ordenanças que não tiveram lugar no Evangelho da Graça, pois se isso tivesse acontecido, por serem leis escravas, inviabilizariam a Religião da Graça e da Liberdade de Jesus.
“Quando já estavam por findos os sete dias, os judeus vindos da Ásia, tendo visto Paulo no templo, alvoroçaram todo o povo e o agarraram gritando: Israelitas, socorro! Este é o homem que por toda a parte ensina todos a serem contra o povo, contra a lei e contra este lugar: ainda mais, introduziu até a gregos no templo, profanando este recinto. Agitou-se toda a cidade, havendo concorrência do povo e agarrando a Paulo, arrastaram-no para fora do templo procurando matá-lo”.  Atos, 21.27.
Repetindo pela alta importância, o apóstolo Paulo que falava e escrevia sob completa inspiração do Espírito Santo de Deus jamais foi acusado de tentar ensinar contra o sábado, ao contrário, ele levava sua Igreja a santificar TODOS OS SÁBADOS:
 “No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 
Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, s encheram de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus se encheram de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, mas sim de um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável.

 Quanto a isso tudo, um bispo católico, com o qual eu me correspondi a respeito de sábados e domingos, surpreendentemente, ao assegurar que os apóstolos ensinaram, na surdina, os cristãos antigos a trocarem o sábado pelo domingo, após a Ressurreição de Jesus, exatamente para que não ocorresse as revoltas acima descritas.
 “Ora, meu caro bispo – respondi --, depois que os apóstolos receberam o fogo do Espírito Santo de Deus no Cenáculo, perderam completamente o medo de qualquer ser da Terra e demonstraram isso, pois por amor ao Mestre, até a vida ofereceram para a propagação do cristianismo. então o senhor errou feio!
 Que religião verdadeira, a do poder de Deus, seria essa cujos apóstolos teriam de humilhar-se a esconder a Verdade de Deus,  por medo do mundo?  Paulo com medo?  Pedro como medo?
   Repetindo: depois que os apóstolos de Jesus receberam Labaredas de Fogo do Espírito Santo de Deus eles perderam o medo de qualquer homem da Terra inteira. Ora, então por que o senhor não levou essa grandiosidade em conta? Ora, meu caro bispo, o seu cristianismo não representa Verdade de Deus!”.  O bispo silenciou.
 A Verdade está revelada, por isso RACIOCINEM, irmãos, e não ajam como os fariseus modernos que bloqueiam as suas consciências e anestesiam as suas mentes na repulsa satânica contra os sábados santos. Se raciocinarem com honestidade, facilmente concluirão que NÃO HÁ A MÍNIMA POSSIBILIDADE  DE A  IGREJA DE JESUS TER VIOLADO UM SÓ SÁBADO SANTO E ABENÇOADO DE DEUS, COMO ESTÁ ESCRITO.
Quem precisa mais que isso para ter a certeza de que o sábado é perpétuo?

Aos irmãos domingueiros eu pergunto:

Aos que julgam que a Ressurreição de Jesus foi motivo para acabar com os santos e solenes sábados do Senhor, se isso pudesse acontecer,  quando se passou a TRANSIÇÃO do sábado para o domingo?  Obrigatoriamente teria de ter havido um período de transição e devidamente registrado no Evangelho, assim como ficou registrado o simples fato de os apóstolos comerem sem lavar as mãos.

Um evento desse porte, de suma importância, pois envolveria a Desobediência proposital  a um dos Mandamentos de Deus, e pela mais que secular tradição da guarda do sábado, sacratíssimo para os judeus  cristãos que formavam a maioria da Igreja Primitiva de Jesus, não haveria como não ter um período de TRANSIÇÃO! É ou não é? 
 Todos os cristãos judeus e não judeus teriam aceitado passivamente o corte do mandamento do sábado?

A TRANSIÇÃO ACONTECECEU no sábado seguinte à ressurreição de Jesus?  No sábado depois que ele subiu ao Reino de Deus Pai? Uma semana depois? Um mês depois? Um ano depois?  Eu mesmo respondo: NUNCA! Nunca houve transição alguma, pois se a História da Igreja registra que os cristãos guardavam o sábado AINDA no ano 364 depois de Cristo, e que por ódio dos judeus o clero resolveu, pelo Concílio de Laodicéia e assinado pelo Papa Libório, um decreto que proíbiu, de modo absolutamente irrevogável, irretratável e irreversivel, a guarda do sábado a favor do domingo, e ainda decretou castigos aos que teimassem em continuar sabatistas NÃO HOUVE TRANSIÇÃO ALGUMA APÓS A RESSURREIÇÃO DE JESUS!

Então os cristãos da Igreja Primitiva continuaram a guardar os sábados até o ano 364.

Foi aí, sim, no ano 364, que houve a TRANSIÇÃO, pois nem todos os cristãos aceitaram passivamente a exclusão do Quarto Mandamento de Deus a favor do tal domingo, fato certamente orquestrado pelo próprio Satanás que conseguiu seu maior feito: "Riscar" das Rochas Sagradas das leis de Deus o seu mais amado mandamento, nomeado por ele como Santo e Bendito e ainda instituído como UM SINAL entre ele e a Humanidade, já que Está Escrito que não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são iguais perante ele:  Romanos 10:12.  Romanos 2:11.   Atos 10:34.  Atos 3:24  Efésios 2:14.

 Então, domingueiros, novamente coloco: essa história de que os apóstolos de Jesus santificavam os sábados está mais furada que uma peneira de arames bem separados.



Vamos às colocações de Fisher, sempre em maiúsculas:

NO VELHO TESTAMENTO, DEUS ORDENOU AOS ISRAELITAS QUE SANTIFICASSEM O DIA DO SÁBADO E NÃO TRABALHASSEM NESSE DIA.  DEVERIAM OS CRISTÃOS DE HOJE, TAMBÉM, DESCANSAR  E ADORAR NO DIA DO SÁBADO?  MUITOS GRUPOS RELIGIOSOS (ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA, POR EXEMPLO) ENSINAM QUE DEVERÍAMOS.  O QUE A BÍBLIA DIZ?

Os 10 Mandamentos não foram dados apenas aos israelitas, mas à humanidade, pois Está Escrito, tanto em Deuteronômio, quanto por cinco vezes no Evangelho, que o Senhor não faz distinção de pessoas ou de raças, pois todos são iguais perante ele.  No Evangelho, em Efésios 2:14, está Escrito que a parede que nos separava dos israelitas FOI DERRUBADA pelo Senhor, permanecendo UM SÓ POVO. Portanto, então, as 10 lei foram promulgadas e propagadas para a humanidade de todos os tempos.


Vós, sim, que antes não éreis povo, agora são povo de Deus”.  I Pedro, 2.10. Agora não há mais distinção de pessoas, pois somos todos Povo de Deus..

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito”. 1 Coríntios 12:13

Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Romanos 10:12

“Porque, para com Deusnão há acepção de pessoas”. Romanos 2:11

E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas”. Atos 10:34    Até no Antigo Testamento Está Escrito:

“Pois o SENHOR vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhoreso Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas”.  Deuteronômio 10:17


Vós, sim, que antes não éreis povo, agora são povo de Deus”.  1 Pedro, 2.10. Agora não há mais distinção de pessoas, pois somos todos povo de Deus.

Então essa história de divisão, de separação entre nós outros e os israelitas é pura fantasia dos domingueiros.

EM ÊXODO 20:8-11 DEUS ORDENOU AOS JUDEUS QUE GUARDASSEM O DIA DO SÁBADO (VEJA NOTA 1).  NO NOVO TESTAMENTO, VEMOS QUE AS LEIS DO VELHO TESTAMENTO ERAM PARA CONTINUAR SOMENTE ATÉ A MORTE DE CRISTO.  (NAS PASSAGENS SEGUINTES, A ÊNFASE ESTÁ ACRESCENTADA PARA ESCLARECER O SENTIDO).

Errado, Gary Fisher. Isso são afirmações vazias, pois não há uma só linha nas Escrituras que aponte a validade do sábado somente após a morte de Jesus. Eu o desafio a provar sua declaração e faço a mais: vou provar abaixo que toda a Igreja de Jesus santificava os sábados antes e depois da Ressurreição de Jesus, e nunca um só domingo.

EFÉSIOS 2:14-15
"PORQUE ELE É A NOSSA PAZ, O QUAL DE AMBOS FEZ UM; E, TENDO DERRUBADO A PAREDE DA SEPARAÇÃO QUE ESTAVA NO MEIO, A INIMIZADE, ABOLIU NA SUA CARNE A LEI DOS MANDAMENTOS NA FORMA DE ORDENANÇAS, PARA QUE DOS DOIS CRIASSE EM SI MESMO UM NOVO HOMEM, FAZENDO A PAZ."  ESTA PASSAGEM MOSTRA QUE CRISTO ABOLIU A "LEI DOS MANDAMENTOS".  DESDE QUE A GUARDA DO SÁBADO ERA UM  DESTES MANDAMENTOS, E NÃO FOI INCLUÍDA NO NOVO TESTAMENTO, NÃO NECESSITAMOS GUARDAR O SÁBADO.

Errado, Gary Fisher. A única colocação correta é que a parede que nos separava dos israelitas foi derrubada por Deus, criando um só povo. O apóstolo Paulo se refere à separação do Evangelho das leis antigas dos israelitas que realmente nos escravizariam se fizessem parte do Evangelho, e que mesmo assim um grupo de Gálatas tentou fazer valer. Tais leis citadas  a seguir, Está Escrito que só vigoraram até João (Lucas 16:16). Quer ver algumas dessas leis? Sacrifícios diários de animais nos templos; a lei carnal da Circuncisão; a lei da morte a pedradas; a lei da segregação racial e outras.

Cristo ABOLIU as leis dos mandamentos? Que horror! Repito, MAS QUE HORROR DE DECLARAÇÃO!!!  

Jesus cristo promulgou e propagou novamente os dez mandamentos quando, em sua primeira pregação à Humanidade, bradou que os céus e a Terra poderão ser destruídos antes que das leis (10) se consiga remover um só til. Mateus 5:17. E se seguirmos até o verso 28, veremos que além de Jesus legitimar todas as 10 leis, ainda AUMENTOU OS GRAUS DE DIFICULDADE DE TRÊS MANDAMENTOS. "A lei diz: não adulterarás, mas eu vos digo que mesmo se olhares com cobiça para uma mulher, já pecaste em teu coração...


 http://otratadosobreasleisdedeus.blogspot.com.br/

 http://asseteverdadessobreosabado.blogspot.com.br/

ESTA PASSAGEM MOSTRA QUE CRISTO ABOLIU A "LEI DOS MANDAMENTOS".  DESDE QUE A GUARDA DO SÁBADO ERA UM  DESTES MANDAMENTOS, E NÃO FOI INCLUÍDA NO NOVO TESTAMENTO, NÃO NECESSITAMOS GUARDAR O SÁBADO.

Como tudo o que você escreveu aqui, TAMBÉM ERRADO, Gary Fisher. Cristo aboliu a Lei?   Aonde buscou isso, pobre pastor? Não conhece as Escrituras e põe-se a escrever tolices sobre a elas? Ora, você faz de Jesus Cristo um reles enganador, pois foi ele, também sobre um monte, que bradou que os céus e a Terra poderão ser destruídos antes que das leis se consiga retirar um só til.  Mateus 5:17 a 28. Nesse versos Jesus ainda AUMENTA, no Evangelho, a dificuldade da observação de algumas das leis do Decálogo. No evento Jovem Rico (Marcos 10:17) foi perguntado a Jesus qual o caminha da salvação; Jesus respondeu ao Jovem Rico:

“GUARDA OS MANDAMENTOS. A seguir Jesus cita alguns mandamentos do Decálogo para provar que se referia às 10 Leis do Pai, MAS O TOLO DO FISCHER FAZ POR IGNORAR ESSA VERDADE!

Essa foi a primeira de duas das condições sinequanon para a Salvação, pois a segunda Jesus revelou como sendo o AMOR DE CARIDADE. Sem uma das duas condições, não há salvação na Eternidade. Detalhes em meu blog:


    http://oexemplodojovemrico.blogspot.com.br/ 

Mostramos Jesus legitimando as 10 leis, mas como ficou o apóstolo Paulo que Gary Fisher afirmou que ele escreveu contra a Lei?

A Hora da Verdade do apóstolo Paulo: Principalmente na Carta aos Gálatas, ele abominava as leis que só vi

goraram até João, mas quanto às leis do Decálogo, se confessa escravo delas:

 “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. Romanos, 7:25.

Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Romanos, 7:22.

“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”.  Romanos, 2:12.  Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!

“... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:26.

Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída, promulgada e propagada e reforça isso citando uma das leis do Decálogo para provar que se referia, de fato, às Dez Leis:

“Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo,  justo e bom”. Romanos, 7:12.

O Apóstolo Paulo revela, ainda, que sem leis não se reconheceria o pecado, portanto,  sem leis não teria como existir o pecado no mundo e, por consequência, Adão e Eva não poderiam ter sido ser expulsos do Paraíso se a eles não tivesse sido dada uma lei pelo Senhor Deus; não teria como Deus julgar os homens no Grande Dia de Jesus, pois os julgamentos, necessariamente, têm de ser fundamentados em leis previamente promulgadas, estabelecidas e propagadas, e isso foi realizado também por seu próprio Filho e só não toma conhecimento também dessa Verdade de Deus quem não quer!

O próprio Jesus NOS EXORTA A OBEDECER ÀS LEIS DE DEUS QUE SÃO DEZ. Vejamos:


 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”.  João 15:10.

Então fica sem efeito a pobre frase acima do pobre pastor Fischer :

DESDE QUE A GUARDA DO SÁBADO ERA UM  DESTES MANDAMENTOS, E NÃO FOI INCLUÍDA NO NOVO TESTAMENTO, NÃO NECESSITAMOS GUARDAR O SÁBADO.

Como não? Acaso Jesus não foi direto quando bradou que  o sábado foi criado para o homem?


“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas num sábado (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas.  Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.

 Nesse preceito Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável  por causa do homem.  Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos.  E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6 maior que Abraão (João 8:57) e maior que Jonas (Lucas 11:32) Maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles

Mesmo por que o apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição do Mestre, santificava os sábados e levava QUASE TODA A CIDADE a louvar aos sábados, coerente com os exemplos de Jesus e dos demais apóstolos da Igreja Primitiva:

No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens! Vamos novamente á Igreja de Paulo:

No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião e outras mais, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.
 Tratou-se de um culto cristão sem teto, nem paredes, que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável. Eis a prova que tudo o que Deus promulgou aos israelitas, se estenderam a toda humanidade:

“Vai, pois, escreve isto numa tabuinha perante eles; escreve-o num livro, para que fique registrado para os dias vindouros, para sempre, perpetuamente”.  Isaías 30:8.  Perpetuamente, significa para sempre

ROMANOS 7:4-7
"ASSIM, MEUS IRMÃOS, TAMBÉM VÓS MORRESTES RELATIVAMENTE À LEI, POR MEIO DO CORPO DE CRISTO, PARA PERTENCERDES A OUTRO, A SABER, AQUELE QUE RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS, E DESTE MODO FRUTIFIQUEMOS PARA DEUS.  PORQUE, QUANDO VIVÍAMOS SEGUNDO A CARNE, AS PAIXÕES PECAMINOSAS POSTAS EM REALCE PELA LEI, OPERAVAM EM NOSSOS MEMBROS A FIM DE FRUTIFICAREM PARA A MORTE.  AGORA PORÉM, LIBERTADOS DA LEI, ESTAMOS MORTOS PARA AQUILO A QUE ESTÁVAMOS SUJEITOS, DE MODO QUE SERVIMOS EM NOVIDADE DE ESPÍRITO E NÃO NA CADUCIDADE DA LETRA.  QUE DIREMOS POIS?  É A LEI PECADO?  DE MODO NENHUM.  MAS EU NÃO TERIA CONHECIDO O PECADO, SENÃO POR INTERMÉDIO DA LEI; POIS NÃO TERIA EU CONHECIDO A COBIÇA, SE A LEI NÃO DISSERA:  NÃO COBIÇARÁS."  ESTA PASSAGEM CLARAMENTE DIZ QUE MORREMOS PARA A LEI E ESTAMOS, PORTANTO, "LIBERTOS DA LEI".  A LEI DE QUE PAULO FALAVA INCLUÍA OS DEZ MANDAMENTOS, PORQUE NO VERSÍCULO 7 ELE CITOU: "NÃO COBIÇARÁS" COMO UMA DAS LEIS. (VEJA NOTA 2).

Errado, Gary Fisher. A frase AGORA, PORÉM, LIBERTADOS DA LEI se refere às leis escravas, retrógradas que só vigoraram até João Batista (Lucas 16:16)  Essas leis retrógradas não tiveram lugar no Evangelho pois nos escravizariam e até nos matariam, pois em nada revela sobre o fim das leis do Decálogo, nem poderia, é claro, ao contrário, legitima o Decálogo ao afirmar que se não existissem leis, não haveria pecado algum e a colocação Não cobiçarás mostra que Paulo falava das leis do Decálogo, pois nada, mas absolutamente nada funciona sem leis. Um Juiz jamais poderia condenar um homem se não existissem leis, nem Jesus no Grande Julgamento, quando os Portais do Reino de Deus serão abertos, não poderia condenar um único ímpio se não existissem as leis do Decálogo, promulgadas e propagadas que, mesmo resumidas, abrangem um universo de todas as situações possíveis de erro.

Vamos ver o apóstolo Paulo falando das leis do Decálogo que o paupérrimo em sabedoria, o Fischer pretende deletar?


A Hora da Verdade do apóstolo Paulo: Principalmente na Carta aos Gálatas, ele abominava as leis que só vigoraram até João, mas quanto às leis do Decálogo, se confessa escravo delas:

 “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. Romanos, 7:25.

Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Romanos, 7:22.

“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”.  Romanos, 2:12.  Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!

“... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:25.

Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída, promulgada e propagada e ainda cita uma das leis do Decálogo provando que se referia, de fato, às Dez Leis:

“Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo,  justo e bom”. Romanos, 7:12.


O Apóstolo Paulo revela, ainda, que sem leis não se reconheceria o pecado, portanto,  sem leis não teria como existir o pecado no mundo e, por consequência, Adão e Eva não poderiam ter sido ser expulsos do Paraíso se a eles não tivesse sido dada uma lei pelo Senhor Deus; não teria como Deus julgar os homens no Grande Dia de Jesus, pois os julgamentos, necessariamente, têm de ser fundamentados em leis previamente promulgadas, estabelecidas e propagadas, e isso foi realizado também por seu próprio Filho e só não toma conhecimento também dessa Verdade de Deus quem não quer!

A frase tristemente interpretada na sua pobreza de conhecimentos bíblicos "Estamos libertos das leis", jamais, mas jamais mesmo se referem aos 10 Mandamentos, mas às leis antigas, escravas, que só vigoraram até João, citadas acima. 

Responda-me, Fischer: Deus não é Perfeito? Não é Sapientíssimo? Não é altamente coerente? Não nos ama? Então, como poderia ter criado um evento altamente espetacular, onde todo o Monte Sinai tremia, o fogo, trovões e raios cercavam o Monte nas 24 horas do dia de por várias semanas e, por todo esse tempo, um batalhão de anjos tocavam suas trombetas cada vez mais alto e nesse ambiente divino, o Senhor Deus que jamais havia escrito pessoalmente nada, mas ali, pela primeira e última vez, ESCREVEU PESSOALMENTE nas Rochas Sagradas das leis seus 10 mandamentos que logo depois, segundo o pobre Fisher, seriam excluídos? 

Não tem cabimento sua tolas colocações e quanto ao Sábado, é o único mandamento chamado SOLENE, SANTO E BENDITO e o que o Senhor abençoa é para sempre. Por isso, você, pastor, só escreveu asneiras que fazem de você um pobre intérprete das Escrituras.


2 CORÍNTIOS 3:6-11
"O QUAL NOS HABILITOU PARA SERMOS MINISTROS DE UMA NOVA ALIANÇA, NÃO DA LETRA, MAS DO ESPÍRITO; PORQUE A LETRA MATA, MAS O ESPÍRITO VIVIFICA.  E SE O MINISTÉRIO DA MORTE, GRAVADO COM LETRAS EM PEDRAS, SE REVESTIU DE GLÓRIA, A PONTO DE OS FILHOS DE ISRAEL NÃO PODEREM FITAR A FACE DE MOISÉS, POR CAUSA DA GLÓRIA DO SEU ROSTO, AINDA QUE DESVANESCENTE, COMO NÃO SERÁ DE MAIOR GLÓRIA O MINISTÉRIO DO ESPÍRITO?  PORQUE SE O MINISTÉRIO DA CONDENAÇÃO FOI GLÓRIA, EM MUITO MAIOR PROPORÇÃO SERÁ GLORIOSO O MINISTÉRIO DA JUSTIÇA.  PORQUANTO, NA VERDADE, O QUE OUTRORA FOI GLORIFICADO, NESTE RESPEITO JÁ NÃO RESPLANDECE, DIANTE DA ATUAL SOBREEXCELENTE GLÓRIA.  PORQUE, SE O QUE SE DESVANECIA TEVE SUA GLÓRIA, MUITO MAIS GLÓRIA TEM O QUE É PERMANENTE."  

AQUI PAULO ESTÁ COMPARANDO O MINISTÉRIO DA MORTE E DA CONDENAÇÃO COM O MINISTÉRIO DO ESPÍRITO E DA JUSTIÇA.  O MINISTÉRIO DA MORTE ESTAVA DESAPARECENDO, MAS O MINISTÉRIO DO ESPÍRITO ESTAVA CONTINUANDO.  MAS QUAL ERA O MINISTÉRIO DA MORTE E DA CONDENAÇÃO QUE ESTAVA DESAPARECENDO?  ERA O MINISTÉRIO "GRAVADO COM LETRAS NAS PEDRAS".  SE CREMOS NO NOVO TESTAMENTO, TEMOS QUE ACREDITAR QUE A REVELAÇÃO ESCRITA NAS PEDRAS, NO VELHO TESTAMENTO (OS DEZ MANDAMENTOS), JÁ MORREU. ESTA PASSAGEM AFIRMA ISSO CLARAMENTE.




Errado, Gary Fisher. Você teve a audácia e a coragem de afirmar que o Decálogo está morto?  Só posso avaliar isso como uma imensa e predadora estupidez espiritual de sua parte. Primeiramente, porque já lhe provei suficientemente que Jesus legitimou no Evangelho as 10 leis. Paulo também legitimou-as. Vamos ver a Verdade?

O apóstolo Paulo repetiu Jesus, legitimando, mais uma vez,  todas as 10 leis:

...porque quem ama aos outros cumpriu a lei. Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.  O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor”.    Romanos 13:8-10

Sobretudo, pareceu-me que o pobre pastor Gary Fischer Fischer  comparou as 10 leis como o ministério da morte e da condenação, eu o desafio a mostrar um só dos 10 Mandamentos colocados abaixo que seja maldito, que nos traga maldições ou condenações. POR FAVOR, APONTE PELO MENOS UM SÓ QUE POSSA NOS ESCRAVIZAR, NOS AMALDIÇOAR OU NOS MATAR:

O Senhor falou conosco face a face, no monte, no meio do fogo.

1  Não terás outros deuses diante de mim.  Na opinião do pastor Gary Fischer será este um mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?

Não farás para ti  imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos. Deuteronômio, 5.4 a 9.   Na opinião do pastor Gary Fischer será este um mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?

  3  Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão.     Na opinião do pastor Gary Fischer será este outro mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?

 “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11.

Na opinião do pastor Gary Fischer será este outro mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


Honrarás teu pai e tua mãe.  Na opinião do pastor Gary Fischer será este outro mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


Não matarás.         Na opinião do pastor Gary Fischer será este outro mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


 7  Não cometerás adultério   Será que este outro Mandamento da Lei de Deus traz escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


 8  Não furtarás.      Será que este outro Mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


9   Não dirás falso testemunho.        Será que este outro Mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


10  Não cobiçaras a casa de teu próximo nem desejarás a sua mulher, nem coisa alguma que lhe pertença.  As Escrituras Sagradas.   Êxodo, 20.    Na opinião do pastor Gary Fischer será este outro mandamento da Lei de Deus que traz maldição, condenação ou escravidão, ou que seja prejudicial ou contra  nós?


“E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão”.  Gálatas 2:4

“Então, pastor Gary Fischer depois, dessa apresentação bíblica, o senhor ainda ousa julgar que Paulo se referia às Dez Leis das Rochas de Deus contendo elementos de escravidão ou maldição?   Como o Senhor Deus cravaria, nas Rochas, para obediência, leis que nos escravizariam? Cadê o Deus da bondade e da Perfeição? Ou será que Paulo se referia às leis nocivas vividas pelos judeus, que realmente escravizavam (descritas abaixo), leis nocivas essas que, sob a ira do apóstolo Paulo, um grupo de Gálatas tentou introduzir no Evangelho, segundo Gálatas 2:4?” (Essas leis só vigoraram até João).


“Então, pastor, me aponte quais ou qual desses mandamentos  são contra nós  ou   nos são prejudiciais e que por isso mesmo “foram removidos por Jesus, o Cristo de Deus?


“... tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz”. Segundo Colossenses, 2.14. Novamente Paulo se referindo ás leis retrógradas, ordenanças antigas que realmente escravizavam e até matavam.  Em meu blog, está revelado o que significa Colossenses 2:16:

Aposto dez por um que, como todos os demais, o nobre pastor Gary Fischer não terá a coragem de apontar diretamente um só mandamento do Decálogo que possa encaixar-se em Colossenses 2:14-16, nos trazendo escravidão, maldição ou que se apresenta nocivo e contra nós cristãos, pois saberá que se apontar um só que poderia trazer-nos conteúdo nocivo estará se revelando um servo de Satanás por causa da hipocrisia ao indispor-se violentamente contra Deus e seus desígnios”.

GÁLATAS 3:15-5:4
GÁLATAS 3:19­  "QUAL, POIS, A RAZÃO DE SER DA LEI?  FOI ADICIONADA POR CAUSA DAS TRANSGRESSÕES, ATÉ QUE VIESSE O DESCENDENTE A QUEM SE FEZ A PROMESSA, E FOI PROMULGADA POR MEIO DE ANJOS, PELA MÃO DE UM MEDIADOR."  SE A LEI FOI ACRESCENTADA ATÉ QUE CRISTO VEIO, ENTÃO O DOMÍNIO DA LEI PAROU QUANDO CRISTO VEIO.

Errado, Gary Fisher. Que colocação mais desastrosa em termos do Evangelho, AFIRMAR ESSA GRANDE TOLICE DE QUE AS LEIS CESSARAM COM JESUS.  O Fisher, em termos de Bíblia, AINDA É UMA CRIANÇA DE LEITE. Já lhe provei, no Evangelho que Jesus perpetuou as leis que ele próprio as guardava e nos exortou para guardarmos. Aqui Jesus legitima novamente as 10 Leis perpétuas, fundidas nas Rochas Sagradas para que jamais se apaguem:

 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”.  João, 15.10.

O Fischer tenta fazer Jesus de um mero incoerente...

GÁLATAS 3:24-25­  "DE MANEIRA QUE A LEI NOS SERVIU DE AIO PARA NOS CONDUZIR A CRISTO, A FIM DE QUE FÔSSEMOS JUSTIFICADOS POR FÉ.  MAS, TENDO VINDO A FÉ, JÁ NÃO PERMANECEMOS SUBORDINADOS AO AIO."  A LEI FOI NOSSO INSTRUTOR, PARA LEVAR-NOS A CRISTO, MAS AGORA QUE CRISTO VEIO, "JÁ NÃO PERMANECEMOS SUBORDINADOS AO INSTRUTOR".

Primeiramente, afirmo que o você é só mais um dos pastores que não sabem interpretar a Carta aos Gálatas e ficam nas fantasias. Veja em meu blog:

http://ebemfacilinterpretaracartaaosgalatas.blogspot.com.br/

Errado, Gary Fisher. Já lhe provei que Jesus e o apóstolo Paulo engrandeceram as 10 leis de Deus, então a sua colocação fica sem efeito, vazia.  O seu problema e da maioria dos pastores evangélicos é que interpretam errado a Carta aos Gálatas. Fiz um arquivo completo sobre isso, anexado a essa mensagem.  Temos de entender que o objetivo do apóstolo Paulo junto ao povo gálatas era que um grupo deles tentou fazer com que algumas das leis retrógradas, que realmente escravizavam, valessem, também, no evangelho e, por causa disso, só vigoraram até João, e foram rigorosamente criticados por Paulo:

O apóstolo Paulo acusa um grupo de gálatas - apegado à sua tradição levita, - de tentar perverter o Evangelho:

“E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão”.  Gálatas 2:4.

Logicamente a “liberdade que temos em Cristo” nada tem a ver com a guarda das leis, pois não se perde liberdade alguma ao guardar as leis de Deus e, como já provei suficiente acima, Paulo se referia à liberdade contra as leis retrógradas, que nos escravizariam se valessem no Evangelho, por isso mesmo só vigoraram até João Batista (Lucas 16:16).

Portanto, as leis retrógradas nos serviram de Aio antes de Jesus, pois só vigoraram até João, até a Primeira Vinda de Jesus; Lucas 16:16.

GÁLATAS 4:1-5­  "DIGO, POIS, QUE DURANTE O TEMPO EM QUE O HERDEIRO É MENOR, EM NADA DIFERE DE ESCRAVO, POSTO QUE É ELE SENHOR DE TUDO.  MAS ESTÁ SOB TUTORES E CURADORES ATÉ AO TEMPO PREDETERMINADO PELO PAI.  ASSIM TAMBÉM NÓS, QUANDO ÉRAMOS MENORES, ESTÁVAMOS SERVILMENTE SUJEITOS AOS RUDIMENTOS DO MUNDO; VINDO, PORÉM, A PLENITUDE DO TEMPO, DEUS ENVIOU SEU FILHO, NASCIDO DE MULHER, NASCIDO SOB A LEI, PARA RESGATAR OS QUE ESTAVAM SOB A LEI, A FIM DE QUE RECEBÊSSEMOS A ADOÇÃO DE FILHOS."  A LEI FOI DADA PARA A INFÂNCIA DO POVO DE DEUS.  CRISTO VEIO PARA NOS ADOTAR COMO FILHOS E REDIMIR-NOS DA LEI.

Errado, Gary Fisher. A mesma resposta acima. Jesus cristo jamais nos livrou de lei alguma do decálogo, ao contrário, legitimou-as no Evangelho e ainda aumentou os gruas de dificuldade de alguma delas:

Ouviste dos antigos: não matarás, mas qualquer um que se indispor com seu irmão (o semelhante) já pecou em seu coração”. Mateus, 5:21.

 “Ouviste dos profetas: não adulterarás, mas qualquer um que olhar com cobiça para uma mulher já pecou em seu coração”.    Mateus 5:27.

 “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til jamais passará da lei sem que tudo seja cumprido”.    Está Escrito que tudo será cumprido na Consumação dos Séculos, no Grande Dia de Jesus, quando os Portais do Reino de Deus serão abertos aos mortais de Jesus, antes fechados desde Adão e Eva (João 14:1 - 3).

Abaixo, temos mais uma gigantesca evidência da validade das Dez Leis, também no Evangelho:

 “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus”.      Jesus, no Sermão do Monte, em Mateus 5:18-19, realçando, novamente o Decálogo de Deus também no Evangelho.

GÁLATAS 4:24,31­ "ESTAS COUSAS SÃO ALEGÓRICAS: PORQUE ESTAS MULHERES SÃO DUAS ALIANÇAS; UMA, NA VERDADE, SE REFERE AO MONTE SINAI, QUE GERA PARA ESCRAVIDÃO; ESTA É HAGAR. . . .  E ASSIM, IRMÃOS, SOMOS FILHOS NÃO DA ESCRAVA, E, SIM, DA LIVRE."  NESTE TRECHO, PAULO COMPARA A LEI DADA NO SINAI COM HAGAR (A MULHER ESCRAVA), E A NOVA ALIANÇA COM SARA (A ESPOSA LIVRE).  ELE DIZ CLARAMENTE QUE SOMOS DA MULHER LIVRE E NÃO DA MULHER ESCRAVA.  PORTANTO, ESTAMOS SOB A NOVA ALIANÇA E NÃO SOB A ALIANÇA DO MONTE SINAI, QUE INCLUIU OS DEZ MANDAMENTOS.  POR FAVOR, ESTUDE CUIDADOSAMENTE ESTE ASSUNTO, POR COMPLETO.

Errado, Gary Fisher.  As mesmas respostas acima.  Quando Paulo citava leis como nocivas, jamais apontou uma só das 10 leis, de outra forma teria sido um grande contraditório, pois declarou-se até escravo das dez leis, então, quando malhava as leis, principalmente em Gálatas ou em Filipenses, se referia às leis retrógradas que só vigoraram até João, Graças a Jesus Cristo que nos trouxe uma nova mensagem, a Luz sobre as Trevas,  sem leis que nos escravizariam.   Um dessas leis, a principal delasa lei da morte, Jesus  aboliu-a quando salvou e perdoou a mulher adúltera, preste a ser estraçalhada a pedradas.

GÁLATAS 5:4­  "DE CRISTO VOS DESLIGASTES VÓS QUE PROCURAIS JUSTIFICAR-VOS NA LEI, DA GRAÇA DECAÍSTES."  A CONSEQÜÊNCIA DA VOLTA PARA A LEI É QUE DECAÍMOS DA GRAÇA.

Errado, Gary Fisher. Novamente Paulo critica o grupo e Gálatas, os falsos irmãos, que pretendia que a tradição israelita, a das leis que escravizavam, perdurassem, também, no Evangelho:

 “E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão”.  Gálatas 2:4.

HEBREUS 7-10
HEBREUS 7:12­  "POIS, QUANDO SE MUDA O SACERDÓCIO, NECESSARIAMENTE HÁ TAMBÉM MUDANÇA DE LEI."  A LEI FOI MUDADA.

Errado, Gary Fisher.  As 10 leis jamais foram mudadas, nem poderiam, pois isso é absolutamente impossível. Está Escrito que DEUS NUNCA MUDA em sua promulgações à humanidade, assim como nunca mudou em suas promulgações a Adão e Eva, que na época representavam a Humanidade, cujos castigos ainda respigam em nós outros. SOBRETUDO Jesus legitimou TODAS AS DEZ LEIS NO EVANGELHO, como já provei acima.  As leis mudadas no Novo Sacerdócio foram as leis antigas do antigo sacerdócio que só vigoraram até João e ponto final.

No mais, Está Escrito nas Cartas de Pedro e em Isaías que Deus nunca muda as suas promulgações. Como, então, alguns pretendem fazer Deus mudar? Como o pastor Gary Fischer pretende fazer Deus mudar, quanto ele, pessoalmente, fundiu suas 10 leis nas Rochas Sagradas num espetáculo indescritível? Na verdade, segundo o conteúdo de seu estudo apresentado aqui, Gary Fischer, por causa do incômodo do sábado para ele, tenta LIXAR todos os 10 Mandamentos, deixando as Rochas sem uma só letra do Deus Imutável em suas promulgações!  Que pretensão absurda e sem cabimento.

Como pretendem alguns, como Jesus poderia ter “lixado” as leis das Rochas de Deus Pai, ou apenas uma só delas, que foram decretadas solenemente, no maior evento da Terra depois de Gênesis (evidentemente deixando-se à parte o nascimento e a morte de Jesus Cristo), ou mesmo uma só vírgula delas todas se ele, o Criador, promulgou-as à Humanidade num cerimonial incrivelmente suntuoso, exuberante, deslumbrante, magnificente, surpreendente, grandioso, altamente espetacular, assustador e até mesmo aterrador (pois raios e trovões pipocavam sobre o Monte que tremia fortemente, envolvido em fogo, sob altíssimo som das trombetas angelicais), que durou várias semanas sem interrupção?

“Todo o Monte Sinai fumegava, pois o Senhor havia descido sobre ele em fogo. A fumaça subia como fumaça de uma fornalha, e todo o Monte tremia muito. Enquanto o som das trombetas aumentava cada vez mais, Moisés falava ao Senhor e ele respondia por meio de um trovão”. Êxodo 19:18 – 19.

Sabe por que as 10 leis são para sempre e nos revelam a Perfeição e a Coerência de Deus Pai? Vejamos:


Segundo as Escrituras, a importância que o Senhor Deus atribuiu ao Decálogo foi tão extensa, grandiosa, sublime, marcante, extraordinária que, diferente de seus procedimentos anteriores quando ordenava a seus profetas escreverem suas palavras para a posteridade, desta vez ele fez questão de escrever, pessoalmente, também para a posteridade, nos altos de um monte (Êxodo19:18), num espetáculo indescritível, não nos papiros que se dissolvem, mas com o fogo de seu olhar, com palavras cravadas, fundidas profundamente em rochas sólidas para que nunca se apagassem, todas as suas leis, uma a uma, regulamentos resumidos, mas absolutamente perfeitos e suficientes para nortear o homem em suas ações, concedendo à Humanidade a grande e maravilhosa chance de viver sem problemas, sem tribulações,  pois se todos obedecessem a todas as leis do Decálogo, os seres humanos estariam a viver num mundo de sonhos: todos se respeitariam, não haveria criminosos, nem a necessidade de grades, de trancas, de polícia, de exércitos armados e de qualquer tipo de armas  e artefatos feitos para conflitos e guerras, o mundo seria muito mais saudável, não haveria pobres muito pobres, como também o Senhor Deus seria muito mais honrado e glorificado e, certamente,  a paz sobreviria sobre a Terra inteira.

É ou não é o Senhor extremamente sábio?



Qual o objetivo divino de tão magnífica exibição, por conta desse grandioso evento, senão o de chamar, de modo ostensivo, a atenção da Humanidade (pois Está Escrito que Deus não faz distinção de pessoas ou de raças?) para a imensa importância da obediência fiel aos Dez Mandamentos instituídos, promulgados e propagados, de forma escrita nas Rochas Sagradas, nos altos do Monte Sinai?

Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a Palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

“Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva.Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”.  I Pedro 1:24.

Desde a Fundação do Mundo, quando foi instituído o Santo Sábado para a Humanidade, as gerações se passaram e continuarão a passar, mas a Palavra de Deus, que também inclui o Sétimo Dia e a abominação às imagens e figuras sacras jamais passará.  De outra forma, estaremos a desmentir o Criador e a Jesus! Não há como fugir desse conceito divino sem ingressar na hipocrisia religiosa, no farisaísmo, por certo desagradando gravemente ao Senhor, as 10 leis são para sempre!

Pelo preceito abaixo, mais uma vez o Evangelho de Jesus legitima nítida e novamente o Decálogo, e ainda revela que assim como os demais Mandamentos, também o do sábado é necessário para a salvação – pelo menos para aqueles que já tomaram conhecimento do valor integral do Decálogo, como aqui está sendo exposto -, pois a falta dele ou de qualquer outro mandamento invalida a Salvação na Eternidade para quem conhece essa Verdade. Não fui eu quem inventou, mas quanto a isso a Palavra de Deus é bem direta, firme, determinante, contundente, conclusiva e esclarecedora.   Ou será que o Senhor Deus “enganou-se” ao revelar-nos esse preceito? Por mais essa determinação evangélica (abaixo) está claro que não adianta guardar nove dos Mandamentos de Deus, se omitirmos a guarda de qualquer outro dos Dez, tal como a do sábado, é claro. Essa declaração no evangelho, legitima, mais uma vez, o decálogo como imutável!

“Porque qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu, pois, não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei”. Tiago 2:10-11

No Apocalipse 14:12, Está Escrito que também pela guarda dos Mandamentos de Deus seremos salvos e, também essa Verdade, vinda do Espírito Santo de Deus, jamais poderá ser ignorada a favor das tradições ou doutrinas. A determinação divina em Tiago, acima, cita alguns Mandamentos do Decálogo, legitimando-o, novamente, no Evangelho. Ora, em Tiago 2:10 as leis de Deus são legitimadas e propagadas, novamente, e ainda indicam que fazem parte da Salvação: Obediência a Deus e a vivência do Amor de Jesus na servidão aos semelhantes.

Em Mateus, 25:31 a 44, Jesus nos mostra, fielmente, a salvação pelas obras de caridade aos semelhantes e a condenação pela falta delas. Isso se repete na Parábola do Rico e Lázaro, na Parábola do Samaritano e no evento Jovem Rico.

HEBREUS 7:18-19­  "PORTANTO, POR UM LADO, SE REVOGA A ANTERIOR ORDENANÇA, POR CAUSA DE SUA FRAQUEZA E INUTILIDADE (POIS A LEI NUNCA APERFEIÇOOU COUSA ALGUMA) E, POR OUTRO LADO, SE INTRODUZ ESPERANÇA SUPERIOR, PELA QUAL NOS CHEGAMOS A DEUS."  A ANTIGA ALIANÇA FOI REVOGADA

Errado, Gary Fisher. Paulo foi bem claro ao revelar que A ANTERIOR ORDENANÇA, a antiga tradição de Levítico, as leis retrógradas que só vigoraram até João foram abolidas pela sua fraqueza e inutilidade. Agora, tentar aliar as 10 leis de Deus como abolidas, fracas e inúteis é de uma idiotice, é uma burrice das maiores, e ainda tenta fazer de Jesus um tolo contraditório. É o fim da picada! Pode? Você, Fischer não tem a mínima condição de escrever sobre temas bíblicos....

HEBREUS 8:7-13­  "PORQUE, SE AQUELA PRIMEIRA ALIANÇA TIVESSE SIDO SEM DEFEITO, DE MANEIRA ALGUMA ESTARIA SENDO BUSCADO LUGAR PARA SEGUNDA.  E, DE FATO, REPREENDENDO-OS, DIZ:  EIS AÍ VÊM DIAS, DIZ O SENHOR, E FIRMAREI NOVA ALIANÇA COM A CASA DE ISRAEL E COM A CASA DE JUDÁ, NÃO SEGUNDO A ALIANÇA QUE FIZ COM SEUS PAIS, NO DIA EM QUE OS TOMEI PELA MÃO, PARA OS CONDUZIR ATÉ FORA DA TERRA DO EGITO; POIS ELES NÃO CONTINUARAM NA MINHA ALIANÇA, E EU NÃO ATENTEI PARA ELES, DIZ O SENHOR.  PORQUE ESTA É A ALIANÇA QUE FIRMAREI COM A CASA DE ISRAEL, DEPOIS DAQUELES DIAS, DIZ O SENHORNAS SUAS MENTES IMPRIMIREI AS MINHAS LEIS, TAMBÉM SOBRE OS SEUS CORAÇÕES AS INSCREVEREI; E EU SEREI O SEU DEUS, E ELES SERÃO O MEU POVO.  E NÃO ENSINARÁ JAMAIS CADA UM AO SEU PRÓXIMO, NEM CADA UM AO SEU IRMÃO DIZENDO:  CONHECE AO SENHOR; PORQUE TODOS ME CONHECERÃO, DESDE O MENOR DELES ATÉ AO MAIOR.  POIS, PARA COM AS SUAS INIQUIDADES USAREI DE MISERICÓRDIA, E DOS SEUS PECADOS JAMAIS ME LEMBRAREI.  QUANDO ELE DIZ NOVA, TORNA ANTIQUADA A PRIMEIRA.  ORA, AQUILO QUE SE TORNA ANTIQUADO E ENVELHECIDO, ESTÁ PRESTES A DESAPARECER."  TEMOS UMA NOVA ALIANÇA.  POR QUE VOLTAR PARA A VELHA?

Errado, Gary Fisher. Na própria frase que você colocou, acima e em negrito, Está Escrito que Deus colocará as suas leis nos corações do povo, e só isso já legitima, novamente, as 10 leis, sendo que antigamente julgava-se que os pensamentos eram gerados pelo coração.

HEBREUS 9:4­  "AO QUAL PERTENCIA UM ALTAR DE OURO PARA O INCENSO, E A ARCA DA ALIANÇA TOTALMENTE COBERTA DE OURO, NA QUAL ESTAVA UMA URNA DE OURO CONTENDO O MANÁ, A VARA DE ARÃO, QUE FLORESCEU, E AS TÁBUAS DA ALIANÇA."  A ALIANÇA A QUE ELE TEM SE REFERIDO INCLUI AS "TÁBUAS DA ALIANÇA": OS DEZ MANDAMENTOS.

Nada contra.

COLOSSENSES 2:16-17
"NINGUÉM, POIS, VOS JULGUE POR CAUSA DE COMIDA E BEBIDA, OU DIA DE FESTA, OU LUA NOVA, OU SÁBADOS, PORQUE TUDO ISSO TEM SIDO SOMBRA DAS COUSAS QUE HAVIAM DE VIR; PORÉM O CORPO É DE CRISTO."  TALVEZ SEJA ESTE O TEXTO MAIS IMPORTANTE DE TODA ESTA DISCUSSÃO, PORQUE ELE CLARAMENTE MENCIONA O DIA DO SÁBADO COMO PARTE DA SOMBRA QUE FOI SUBSTITUÍDA POR CRISTO. (VEJA NOTAS 3 E 4).  O SÁBADO NÃO É, PARA NÓS, HOJE, MAIS PARTE DO PADRÃO DE DEUS DO QUE A CONSERVAÇÃO DO FESTIVAL DA LUA NOVA.  AMBOS FORAM PARTES DA ALIANÇA DO VELHO TESTAMENTO, QUE FOI SUBSTITUÍDA PELA NOVA ALIANÇA DE CRISTO.

Errado, Gary Fisher, apesar de que Colossenses acima é o verso preferido dos que tentam “abolir” as 10 leis, tanto evangélicos, como católicos e ortodoxos, o sentido é bem diferente da sua infeliz interpretação, como também a dos citados.  

“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados”.  Colossenses 2:16.

Na Verdade, o mesmo Paulo que levava toda a sua Igreja e quase toda a cidade a louvar aos sábados (Atos 16:13 e 13:41), como aqui está mostrado, como também Está Escrito que o mesmo Paulo declarou-se escravo das  leis de Deus, que afirmou, também, que sem as leis jamais se reconheceria o pecado, que a Lei é santa e boa e foi promulgada a todas as nações para obediência, jamais poderia abominar o Dia do Senhor em Colossenses, de outra forma, pela alta contradição que isso traria, todos os seus demais escritos cairiam em descrédito. Então, esse preceito isolado não tem autoridade alguma para anular os santos e benditos sábados do Senhor! Se o Fischer na concordar, estará no rol dos fariseus hipócritas.

Elaborei um blog muito explicativo, segundo as Escrituras:




Para bem entender esse preceito isolado, Paulo estava se referindo à desobrigação de o povo viver pelas ordenanças antigas, cargas pesadas, que giravam em torno dos sábados e das festas de Lua Nova, pois aos sábados não de podia dar muitos passos, não era permitido acender o fogo na cozinha, não era permitido alimentar os animais, nem mesmo colher o leite das vacas, também não era permitido levar uma pessoa ao curador, leis antigas de Levítico. Por isso, Colossenses 2:16 tratou-se apenas de um desabafo de Paulo, imitando o Senhor Deus, como veremos abaixo.
Dessa forma, Paulo fez-se entender aos judeus, ainda apegados à sua antiga tradição levítica - uma parte deles rebelde ao cristianismo verdadeiro, assim como uma parte dos Gálatas -, que ninguém poderia julgar um cristão pela não observância das ordenanças que cercavam os sábados, como também as que cercavam as festas de Lua Nova. Assim, nenhum cristão ou judeu poderia ser julgado por desrespeitar as duras tradições, regulamentos ou ordenanças e até as cargas pesadas – denunciadas por Jesus em Mateus, no capítulo 23 - que giravam em torno do sábado dos profetas até João (Lucas 16:16). Por essas ordenanças antigas, repetindo: aos sábados não se podia dar muitos passos, nem acender o fogo na cozinha, nem fazer qualquer tipo de esforço físico tal como levar alguém a um médico, e se alguém fosse flagrado trabalhando aos sábados, esse poderia ser julgado e até morto, como tentaram matar Jesus apenas porque curava aos sábados (leis escravas e mortais).  Quanto a isso, Jesus acusa os fariseus:

“Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los”. Jesus, criticando violentamente os fariseus do templo, em Mateus 23:4 e por todos os outros preceitos desse capítulo.

Não nos esqueçamos que Jesus nomeou como FILHOS DO DIABO aqueles fariseus que o acusavam de violar os sábados, mesmo Jesus tendo mostrado a eles que apenas APARENTAVA que violava os sábados:

Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”.  Jesus, em João 7:23 a 24

Sobretudo, segundo Colossenses 2:16, Paulo, um tanto irado, espelhou-se no próprio Deus, também irado ao ver o seu povo afastar-se das suas leis, e assim fez um grave desabafo:

“... eis que cercarei o seu caminho com espinhos.  Reterei, a seu tempo, o meu trigo e o meu vinho, e arrebatarei a minha lã e o meu linho, que lhe deviam cobrir a nudez. Ninguém a livrará da minha mão. Farei cessar todo o seu gozo, as suas Festas de Lua Nova, os seus sábados e todas as suas solenidades.  Devastarei a sua vide e a sua figueira...”.  Maldições do Senhor ao seu povo desobediente e ingrato, em Oséias, capítulo 2.

Sabemos que o Senhor Deus Imutável jamais pretendeu acabar com o Sábado cravado nas Rochas, nomeado por ele como Santo, Solene e abençoado, como um Sinal  entre ele e a Humanidade, também da mesma forma procedeu com as festas de Lua Nova e, do mesmo modo, repetindo, o apóstolo Paulo imitou o Criador, desabafando, pois nunca houve a menor condição da abominação dos abençoados sábados por ele, como já vimos. Diferente disso, Paulo teria sido um alto contraditório e isso é plenamente impossível, pois falava e agia sob a orientação mais que segura do Espírito Santo de Deus!

OS CRISTÃOS DE HOJE TÊM QUE SEGUIR O NOVO TESTAMENTO, QUE NÃO ORDENA QUE QUALQUER DIA SEJA COMPLETAMENTE POSTO DE LADO COMO UM DIA DE DESCANSO, MAS SIM, MOSTRA O PADRÃO DOS CRISTÃOS REUNINDO-SE PARA ADORAR JUNTOS NOS DOMINGOS (ATOS 20:7; 1 CORÍNTIOS 16:1:2).  (VEJA NOTAS 5 E 6).

Errado de novo, Gary Fisher, mas errado de modo gravíssimo, o que demonstra a sua alta fragilidade espiritual  e feroz  desconhecimento bíblico. Então, como eu não faço parte desse seu grupo, vamos provar qual era realmente o  dia que igreja primitiva santificava:

A seguir, estão colocadas as provas bíblicas que revelam, claramente, e sem nenhuma sombra de dúvidas, Jesus e sua Igreja santificando os sábados  com o objetivo maior de nos deixar esses claros exemplos, pelos quais devemos abominar o tal domingo, certamente imposto por Satanás através dos papas romanos, como aqui será  mostrado abaixo, e não há argumento honesto que consiga desmentir essa Verdade do Evangelho:

 “E, chegando a Nazaré, onde fora criado, (Jesus) entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”.    Lucas 4:16.   Jesus, nos concedendo o exemplo.

Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:

O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei.  Lucas 23:55 - 56.  A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

Então, Jesus ensinou sua Igreja a ser também legalista!  Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor.
Inicialmente, vejamos apenas uma parte dos exemplos citados acima: a Igreja dos tempos de Paulo, décadas após a ressurreição Jesus, ao ar livre, coerentemente santificando os sábados do Senhor:

Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus, os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor, na Igreja de Deus, sem teto e sem paredes:
No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 
Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

Novamente a Igreja de Paulo se reunindo ao ar livre, pois toda a cidade não caberia num salão:

No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.

 Tratou-se de um culto cristão sem teto, nem paredes, que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável

 “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.  
Os defensores do domingo inventado argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois pela tradição israelita, jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.

Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como a uma jornada de sábado....  Atos 1:12.           Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

 “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”. 
Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio Masada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.
Jesus nos mostra que o sábado foi criado para o homem:
“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas. 

Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo que perdura até hoje: Em o Nome da Caridade por amor ao semelhantes, a lei do sábado pode ser ignorada se não for possível transferir para o dia seguinte. Por exemplo, no sábado não posso ajudar a encher a laje de meu vizinho,mas se num sábado a casa dele desabar, posso fazer toda a força possível para ajudar, pois isso não pode ser adiado para o dia seguinte. Assim se dá com os operários da energia, da água, do gás, dos enfermeiros e médicos dos hospitais, dos transportes, pois se faltarem ao emprego pessoas morrem. Tais atividades, também, não podem ser adiadas para o dia seguinte, assim como Jesus nem Davi  não deixaram para o dia seguinte matar a fome de seus amigos.

 Nesse preceito Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável  por causa do homem.  Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos.  E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

NOTA 1:
O SÁBADO ERA SÓ PARA OS JUDEUS.   MUITAS PASSAGENS MOSTRAM QUE O MANDAMENTO PARA GUARDAR O SÁBADO FOI DADO SOMENTE AOS JUDEUS.  POR EXEMPLO:
              (Está errada a palavra judeus, pois o certo tem de ser: israelitas, que engloba as 12 tribos)

Errado de novo, Gary Fisher, acabei de provar, no Evangelho, que Jesus, sua Igreja, a Igreja de Paulo santificavam os sábados, então, sua colocação novamente cai no vazio...  Se o Senhor Deus promulgou suas leis primeiramente aos israelitas, é porque só havia esse povo na época, único povo temente a Deus. Mas Está Escrito, tanto no Evangelho, quando no Primeiro Testamento que o Senhor Deus não faz diferença de pessoas ou de raças e que TODOS são iguais perante ele. E assim, as 10 leis foram promulgadas À HUMANIDADE.



Vós, sim, que antes não éreis povo, agora são povo de Deus”.  I Pedro, 2.10. Agora não há mais distinção de pessoas, pois somos todos Povo de Deus.

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito”. 1 Coríntios 12:13

Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam". Romanos 10:12

“Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas”. Romanos 2:11

“E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas”. Atos 10:34    Até no Antigo Testamento Está Escrito:

“Pois o SENHOR vosso Deus é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem aceita recompensas”.  Deuteronômio 10:17

Então, está provado que essa história de divisão, de separação entre nós outros e os israelitas é pura fantasia dos domingueiros.

Para aclarar mais a Verdade acima, o apóstolo Paulo revelou que somos os legítimos herdeiros dos israelitas. Sobretudo, se no fantástico evento Monte Sinai, as leis de Deus tivessem sido escritas apenas para os israelitas, nós não teríamos direito algum de ler qualquer dos livros do Primeiro Testamento, assim como os Salmos, Daniel, Isaías, etc, nem mesmo Malaquias onde os pastores evangélicos vão buscar a sua principal fonte da legitimação dos dízimos, pois tudo isso foi primeiramente escrito para os israelitas. é ou não é? Em nome da Verdade, nada de dois pesos e duas medidas!

Somos os verdadeiros herdeiros dos israelitas, do Decálogo, atestado pelo Espírito Santo de Deus:

“E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas  e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”.  Atos dos Apóstolos 3:24 - 25.


ÊXODO 31:12-18­  "DISSE MAIS O SENHOR A MOISÉS:  TU, POIS, FALARÁS AOS FILHOS DE ISRAEL, E LHES DIRÁS:  CERTAMENTE GUARDAREIS OS MEUS SÁBADOS; POIS É SINAL ENTRE MIM E VÓS NAS VOSSAS GERAÇÕES; PARA QUE SAIBAIS QUE EU SOU O SENHOR, QUE VOS SANTIFICA.  PORTANTO GUARDAREIS O SÁBADO, PORQUE É SANTO PARA VÓS OUTROS:  AQUELE QUE O PROFANAR, MORRERÁ; POIS QUALQUER QUE NELE FIZER ALGUMA OBRA SERÁ ELIMINADO DO MEIO DO SEU POVO.  SEIS DIAS SE TRABALHARÁ, PORÉM O SÉTIMO DIA É O SÁBADO DO REPOUSO SOLENE, SANTO AO SENHOR; QUALQUER QUE NO DIA DO SÁBADO FIZER ALGUMA OBRA MORRERÁ.  PELO QUE OS FILHOS DE ISRAEL GUARDARÃO O SÁBADO, CELEBRANDO-O POR ALIANÇA PERPÉTUA NAS SUAS GERAÇÕES.  ENTRE MIM E OS FILHOS DE ISRAEL É SINAL PARA SEMPRE; PORQUE EM SEIS DIAS FEZ O SENHOR OS CÉUS E A TERRA, E AO SÉTIMO DIA DESCANSOU E TOMOU ALENTO.  E, TENDO ACABADO DE FALAR COM ÊLE NO MONTE SINAI, DEU A MOISÉS AS DUAS TÁBUAS DO TESTEMUNHO, TÁBUAS DE PEDRA, ESCRITAS PELO DEDO DE DEUS."  AQUI ELE AFIRMOU QUE O SÁBADO ERA ENTRE DEUS E OS FILHOS DE ISRAEL.

Nada contra,  Esse verso acima legitima, novamente, as 10 leis na qual o sábado santo e abençoado de Deus faz parte

· DEUTERONÔMIO 5:1-3, 12­  "CHAMOU MOISÉS A TODO O ISRAEL, E DISSE-LHE:  OUVI, Ó ISRAEL, OS ESTATUTOS E JUÍZOS QUE HOJE VOS FALO AOS OUVIDOS, PARA QUE OS APRENDAIS E CUIDEIS EM OS CUMPRIRDES.  O SENHOR NOSSO DEUS FEZ ALIANÇA CONOSCO EM HOREBE.  NÃO FOI COM NOSSOS PAIS QUE FEZ O SENHOR ESTA ALIANÇA, E, SIM, CONOSCO, TODOS OS QUE HOJE AQUI ESTAMOS VIVOS...GUARDA O DIA DE SÁBADO, PARA O SANTIFICAR, COMO TE ORDENOU O SENHOR TEU DEUS."  A ALIANÇA QUE INCLUÍA O DIA DO SÁBADO FOI EXCLUSIVAMENTE FEITA COM OS ISRAELITAS E COM NINGUÉM MAIS.

Nada contra,  Esse verso acima legitima, novamente, as 10 leis na qual o sábado santo e abençoado faz parte

· EZEQUIEL 20:10-12­  "TIREI-OS DA TERRA DO EGITO E OS LEVEI PARA O DESERTO.  DEI-LHES OS MEUS ESTATUTOS, E LHES FIZ CONHECER OS MEUS JUÍZOS, OS QUAIS CUMPRINDO-OS O HOMEM, VIVERÁ POR ELES.  TAMBÉM LHES DEI OS MEUS SÁBADOS, PARA SERVIREM DE SINAL ENTRE MIM E ELES, PARA QUE SOUBESSEM QUE EU SOU O SENHOR QUE OS SANTIFICA." AQUELES A QUEM A LEI DO SÁBADO FOI DADA FORAM O POVO DE ISRAEL, AQUELES QUE FORAM RESGATADOS DO EGITO.

Nada contra,  Esse verso acima legitima, novamente, as 10 leis na qual o sábado santo e abençoado faz parte

ÀS VEZES, OS ADVENTISTAS MOSTRAM QUE DEUS DESCANSOU NO SÉTIMO DIA DA CRIAÇÃO (GÊNESIS 2:1-3).  E DAÍ ELES DEDUZEM QUE AOS HOMENS FOI ORDENADO QUE  GUARDASSEM O SÁBADO DESDE O TEMPO DA CRIAÇÃO.  MAS NENHUMA PASSAGEM AFIRMA ISSO.  DE FATO, A PRIMEIRA VEZ QUE LEMOS SOBRE HOMENS GUARDANDO O SÁBADO, OU  UM MANDAMENTO PARA OS HOMENS GUARDAREM O SÁBADO, É EM ÊXODO 16, DEPOIS QUE MOISÉS TINHA GUIADO OS ISRAELITAS PARA FORA DO EGITO.  GÊNESIS 2 MOSTRA QUE DEUS DESCANSOU NO SÉTIMO DIA, MAS NÃO ORDENA QUE OS HOMENS GUARDEM O SÉTIMO DIA.  DE FATO, A BÍBLIA NUNCA ORDENOU AOS GENTIOS QUE GUARDASSEM O SÁBADO ­ SOMENTE OS JUDEUS ­  DESDE O TEMPO DE MOISÉS ATÉ CRISTO.

Errado de novo, Gary Fisher, o que demonstra a sua fragilidade e desconhecimento bíblico e ausência de sabedoria, de dedução e de raciocínio.

Vamos meditar e deduzir: Sendo o Senhor Deus Perfeito, para que instituiu um dia de descanso entre os sete dias da semana?  Para ele descansar? Ora, se Deus precisasse de descanso não seria Perfeito, então ele criou o sétimo dia para o homem, para a Humanidade descansar, pois detendo ele toda a Sabedoria, sabia que o homem da Humanidade não sobreviveria sem um tempo de descanso. Imagine um Adão que, viveu mais de 900 anos, trabalhando duramente em serviços braçais sem um tempo de descanso. Então, Deus criou o homem e lhe deu um dia de descanso entre sete.

Por isso, Está Escrito em Hebreus 4:9 que: “Resta um repouso para o povo de Deus”. Por isso mesmo Jesus revelou:

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28. Aqui Jesus desmente o Gary Fischer que quer a derrocada do sábado!

Quanto a ser o Senhor do sábado, os evangélicos se apegam nisso como se sendo Jesus o Senhor do sábado, o teria anulado, mas são suposições equivocadas, pois Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:6 – maior que Abraão (João 8:57) e maior que Jonas (Lucas 11:32) Maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, e logicamente é Maior que Moisés, sem desmerecer qualquer um deles.

O Senhor Deus criou o homem (e a mulher) no sexto dia, e no sétimo dia criou um dia de descanso para ele, pois o Criador jamais necessitaria de um dia de descanso, pois Está Escrito que JAMAIS SE CANSA:


“Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento”. Isaías 40:28

NOTA 2:
HÁ DIFERENÇA ENTRE LEI MORAL E LEI CERIMONIAL?
O NOVO TESTAMENTO MOSTRA QUE OS CRISTÃOS NÃO ESTÃO MAIS SOB A OBRIGAÇÃO DE GUARDAR A LEI DO VELHO TESTAMENTO.  OS ADVENTISTAS E OUTROS TENTAM ESCAPAR DO SIGNIFICADO DESTES TEXTOS, INVENTANDO A DIFERENÇA ENTRE A LEI MORAL, QUE ELES CHAMAM A LEI DE DEUS, E A LEI CERIMONIAL, QUE ELES CHAMAM A LEI DE MOISÉS.  NORMALMENTE, ELES ENSINAM QUE A LEI CERIMONIAL FOI ABOLIDA POR CRISTO (ASSIM NÃO GUARDAMOS A PÁSCOA NEM OFERECEMOS SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS), MAS A LEI MORAL AINDA ESTÁ VIGENTE.  ESTA DISTINÇÃO NÃO ESTÁ NA BÍBLIA.

Errado de novo, Gary Fisher, o que demonstra a sua fragilidade e desconhecimento bíblico e ausência de sabedoria espiritual.

Nas colocações acima, está mais que provado que as 10 leis são perpétuas e que foram promulgadas para a humanidade, ao tempo do Velho Testamento.  Quem não entender essa maravilhosa grandeza, mesmo tendo à frente todas as condições para isso, é um pobre coitado!  Cuidado, pastor Fischer!

A BÍBLIA USA AS EXPRESSÕES LEI DO SENHOR E LEI DE MOISÉS, SEM FAZER DISTINÇÃO, NOS MESMOS CASOS:

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia, pois as duas Rochas Sagradas das leis foram dadas à humanidade por Moisés, que teve de jejuar, por 40 dias em duas vezes para habilitar-se a recebê-las direto das mãos de Deus. Deus sempre fez seus profetas a escreverem suas palavras para a humanidade, mas de tanta importância que são as 10 leis, pois regulam as relações da humanidade para com o Criador e as relações entre os homens, fez questão de ele mesmo, o Senhor, pela primeira e única vez ESCREVER PESSOALMENTE AS SUAS LEIS NAS ROCHAS SAGRADAS.  Mesmo assim, incompreensivelmente, ainda há tolos como Gary Fischer que pretendem aleijar as Rochas Sagradas de Deus!!!  Que tremenda audácia!!!

· 2 CRÔNICAS 34:14­  "QUANDO SE TIRAVA O DINHEIRO QUE SE HAVIA TRAZIDO À CASA DO SENHOR, HILQUIAS, O SACERDOTE, ACHOU O LIVRO DA LEI DO SENHOR, DADA POR INTERMÉDIO DE MOISÉS."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· ESDRAS 7:6­  "ELE ERA ESCRIBA VERSADO NA LEI DE MOISÉS, DADA PELO SENHOR DEUS DE ISRAEL; E, SEGUNDO A BOA MÃO DO SENHOR SEU DEUS, QUE ESTAVA SOBRE ELE, O REI LHE CONCEDEU TUDO QUANTO LHE PEDIRA."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· NEEMIAS 8:1, 8, 14, 18­  "EM CHEGANDO O SÉTIMO MÊS, E ESTANDO OS FILHOS DE ISRAEL NAS SUAS CIDADES, TODO O POVO SE AJUNTOU COMO UM SÓ HOMEM, NA PRAÇA, DIANTE DA PORTA DAS ÁGUAS; E DISSERAM A ESDRAS, O ESCRIBA, QUE TROUXESSE O LIVRO DA LEI DE MOISÉS, QUE O SENHOR TINHA PRESCRITO A ISRAEL. . . .  LERAM NO LIVRO, NA LEI DE DEUS, CLARAMENTE, DANDO EXPLICAÇÕES, DE MANEIRA QUE ENTENDESSEM O QUE SE LIA. . . .  ACHARAM ESCRITO NA LEI QUE O SENHOR ORDENARA, POR INTERMÉDIO DE MOISÉS, QUE OS FILHOS DE ISRAEL HABITASSEM EM CABANAS, DURANTE A FESTA DO SÉTIMO MÊS. . . .  DIA APÓS DIA LEU ESDRAS DO LIVRO DA LEI DE DEUS, DESDE O PRIMEIRO DIA ATÉ AO ÚLTIMO; E CELEBRARAM A FESTA POR SETE DIAS; NO OITAVO DIA HOUVE UMA ASSEMBLÉIA SOLENE, SEGUNDO O PRESCRITO."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· NEEMIAS 10:29­  "FIRMEMENTE ADERIRAM A SEUS IRMÃOS, SEUS NOBRES CONVIERAM NUMA IMPRECAÇÃO E NUM JURAMENTO, DE QUE ANDARIAM NA LEI DE DEUS, E QUE FOI DADA POR INTERMÉDIO DE MOISÉS, SERVO DE DEUS; DE QUE GUARDARIAM E CUMPRIRIAM TODOS OS MANDAMENTOS DO SENHOR, NOSSO DEUS, E OS SEUS JUÍZOS E OS SEUS ESTATUTOS."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

EM DIVERSAS OCASIÕES,"MANDAMENTOS CERIMONIAIS" ERAM CHAMADOS DE LEI DO SENHOR:  SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS, SACERDÓCIO, DIAS DE FESTAS (2 CRÔNICAS 31:3-4), A FESTA DOS TABERNÁCULOS (NEEMIAS 8:13-18), A CONSAGRAÇÃO DOS PRIMOGÊNITOS E AS OFERENDAS PARA PURIFICAÇÃO DEPOIS DO PARTO (LUCAS 2:23-24).  EM OUTRAS OCASIÕES, AS LEIS MORAIS ERAM DITAS COMO VINDO DE MOISÉS.  POR EXEMPLO, O MANDAMENTO PARA HONRAR OS PAIS (MARCOS 7:10).  PARA SIMPLIFICAR, A DISTINÇÃO ENTRE A LEI CERIMONIAL  DE MOISÉS E A LEI DE DEUS É UMA INVENÇÃO DA TEOLOGIA ADVENTISTA.  NÃO É ENCONTRADA NA BÍBLIA.

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

NOTA 3:
O DIA DO SÁBADO DE COLOSSENSES 2:16 É O SÁBADO SEMANAL.

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.




ALGUMAS VEZES, QUANDO CONFRONTADOS COM COLOSSENSES 2:16, QUE ENSINA QUE O DIA DO SÁBADO FOI UMA PARTE DA SOMBRA QUE FOI SUBSTITUÍDA POR CRISTO, OS ADVENTISTAS REPLICAM QUE COLOSSENSES 2:16 ESTÁ SE REFERINDO AOS "SÁBADOS ANUAIS", E NÃO AOS "SÁBADOS SEMANAIS."  A VERDADE É QUE O TERMO SÁBADO É USADO NA BÍBLIA QUASE EXCLUSIVAMENTE PARA OS SÁBADOS SEMANAIS E É A PRÓPRIA PALAVRA USADA PELO SENHOR QUANDO ELE DEU OS DEZ MANDAMENTOS.  A ÚNICA FESTA ANUAL, PARA A QUAL A PALAVRA SÁBADO FOI APLICADA, É O DIA DA EXPIAÇÃO (LEVÍTICO 16:31-32).

Colossenses 2:16 já foi suficientemente explicado acima.

OLHEM CUIDADOSAMENTE A LISTA DOS TIPOS DE "SOMBRA" EM COLOSSENSES 2:16: "COMIDA E BEBIDA, OU DIA DE FESTA, OU LUA NOVA, OU SÁBADOS".  DEPOIS DE MENCIONAR COMIDA E BEBIDA, ELE (PAULO) TAMBÉM MENCIONA FESTAS (CELEBRAÇÕES ANUAIS), LUA NOVA (CELEBRAÇÕES MENSAIS) E SÁBADOS (CELEBRAÇÕES SEMANAIS).  [E, INTERESSANTE, MUITOS ADVENTISTAS TENTAM MANTER AS MESMAS REGRAS DO VELHO TESTAMENTO SOBRE COMIDA  (ESTUDE MARCOS 7:19 E ATOS 10:9-16)].  REPETIDAMENTE, ESTE AGRUPAMENTO ANUAL, MENSAL E SEMANAL (ÀS VEZES DIÁRIO) DE FESTAS É FEITO NA BÍBLIA:

Colossenses 2:16 já foi suficientemente explicado acima.

· 1 CRÔNICAS 23:30-31­  "DEVIAM ESTAR PRESENTES TODAS AS MANHÃS PARA RENDEREM GRAÇAS AO SENHOR, E O LOUVAREM; E DA MESMA SORTE À TARDE.  E PARA CADA OFERECIMENTO DOS HOLOCAUSTOS DO SENHOR, NOS SÁBADOS, NAS LUAS NOVAS, E NAS FESTAS FIXAS, PERANTE O SENHOR, SEGUNDO O NÚMERO DETERMINADO."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· 2 CRÔNICAS 2:4­  "EIS QUE ESTOU PARA EDIFICAR A CASA AO NOME DO SENHOR MEU DEUS E LHA CONSAGRAR, PARA QUEIMAR PERANTE ELE INCENSO AROMÁTICO, E LHE APRESENTAR O PÃO CONTÍNUO DA PROPOSIÇÃO, E OS HOLOCAUSTOS DA MANHÃ E DA TARDE, NOS SÁBADOS, NAS LUAS NOVAS E NAS FESTIVIDADES DO SENHOR NOSSO DEUS; O QUE É OBRIGAÇÃO PERPÉTUA PARA ISRAEL."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· 2 CRÔNICAS 8:13­  "E ISTO SEGUNDO O DEVER DE CADA DIA, CONFORME O PRECEITO DE MOISÉS, NOS SÁBADOS, NAS LUAS NOVAS E NAS FESTAS FIXAS, TRÊS VEZES NO ANO:  NA FESTA DOS PÃES ASMOS, NA FESTA DAS SEMANAS E NA FESTA DOS TABERNÁCULOS."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· 2 CRÔNICAS 31:3­  "A CONTRIBUIÇÃO QUE FAZIA O REI DA SUA PRÓPRIA FAZENDA ERA DESTINADA PARA OS HOLOCAUSTOS, PARA OS DA MANHÃ E OS DA TARDE, E PARA OS HOLOCAUSTOS DOS SÁBADOS, DAS LUAS NOVAS E DAS FESTAS FIXAS, COMO ESTÁ ESCRITO NA LEI DO SENHOR."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· NEEMIAS 10:33­  "PARA OS PÃES DA PROPOSIÇÃO, E PARA A CONTÍNUA OFERTA DE MANJARES, E PARA O CONTÍNUO HOLOCAUSTO DOS SÁBADOS, DAS LUAS NOVAS, PARA AS FESTAS FIXAS, E PARA AS COUSAS SAGRADAS, E PARA AS OFERTAS PELO PECADO, PARA FAZER EXPIAÇÃO POR ISRAEL, E PARA TODA A OBRA DA CASA DO NOSSO DEUS."

Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· EZEQUIEL 45:17­  "ESTARÃO A CARGO DO PRÍNCIPE OS HOLOCAUSTOS, E AS OFERTAS DE MANJARES, E AS LIBAÇÕES, NAS FESTAS, NAS LUAS NOVAS E NOS SÁBADOS, EM TODAS AS FESTAS FIXAS DA CASA DE ISRAEL:  ELE MESMO PROVERÁ A OFERTA PELO PECADO, E A OFERTA DE MANJARES, E O HOLOCAUSTO, E OS SACRIFÍCIOS PACÍFICOS, PARA FAZER EXPIAÇÃO PELA CASA DE ISRAEL."


Nada aqui que agrida as leis de Deus ou atente contra o Sétimo Dia.

· OSÉIAS 2:11­  "FAREI CESSAR TODO O SEU GOZO, AS SUAS FESTAS, AS SUAS LUAS NOVAS, OS SEUS SÁBADOS E TODAS AS SUAS SOLENIDADES."

Novamente um desabafo de Deus ao ver seu povo repetidamente desobediente.

PAULO USA O MESMO AGRUPAMENTO EM COLOSSENSES 2:16.  POR QUE HAVERIA ALGUÉM DE TORCER SUAS PALAVRAS PARA FAZER COM QUE SIGNIFICASSE FESTAS ANUAIS QUANDO ELE FALA DE SÁBADOS?

Colossenses já explicado acima.

NOTA 4:
O SIGNIFICADO ESPIRITUAL DO SÁBADO
O DIA DO SÁBADO ERA UMA SOMBRA DA REALIDADE ESPIRITUAL TRAZIDA POR CRISTO (COLOSSENSES 2:16-17).  O SÁBADO SIGNIFICA DESCANSO E LIBERTAÇÃO DO TRABALHO:  CRISTO TROUXE O DESCANSO E A LIBERTAÇÃO DO PECADO.  JESUS É O DESCANSO PARA O QUAL A SOMBRA DO SÁBADO APONTAVA (MATEUS 11:28-30).  MESMO A LIBERTAÇÃO E O DESCANSO QUE JESUS NOS DÁ AGORA SÃO APENAS UMA ANTECIPAÇÃO DO DESCANSO VERDADEIRO QUE OS CRISTÃOS EXPERIMENTARÃO NO CÉU (HEBREUS 4:9).

Errado, de novo, Gary Fisher,   Quanto ao verso: “Portanto, resta ainda um repouso para o povo de Deus”, em Hebreus 4:9, observando-se o texto por inteiro,notamos, claramente, que Paulo se refere ao Sétimo Dia, especificamente, como está no verso de Hebreus 4:4 e nada tem a ver com um dia de repouso no Reino de Deus, mesmo porque lá não haverá dias ou noites, só a Luz de Deus, segundo o Apocalipse 22:5,        Vamos a Mateus 11:28:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.  Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. Mateus 11:28-30

O pobre pastor Fischer tenta fazer da guarda do sábado um dia de fardo pesado, mas o próprio Evangelho desmente essa tola tentativa de agredir os santos e abençoados sábados de Deus:

“Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados”. 1 João 5:2,3

NOTA  5:
OS PRIMEIROS CRISTÃOS ADORAVAM NO DOMINGO  DUAS PASSAGENS MOSTRAM CLARAMENTE QUE OS PRIMEIROS CRISTÃOS ADORAVAM NOS DOMINGOS:

Errado, de novo, Gary Fisher, e erro gravíssimo. Os textos abaixo não provam que os apóstolos santificavam os domingos, pois são meras deduções, suposições bem pálidas que perdem completamente o sentido revelado e mostrado acima: Jesus e sua Igreja, como também a Igreja de Paulo, décadas após a ressurreição de Jesus, santificando coerentemente os sábados de Deus.

· ATOS 20:7­ "NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA, ESTANDO NÓS REUNIDOS COM O FIM DE PARTIR O PÃO, PAULO QUE DEVIA SEGUIR DE VIAGEM NO DIA IMEDIATO, EXORTAVA-OS E PROLONGOU O DISCURSO ATÉ À MEIA-NOITE." NOTEM QUE ESTE DIA ERA UM DOMINGO.  OS ADVENTISTAS ARGUMENTAM QUE ESTA REUNIÃO ERA NA NOITE DE SÁBADO, MAS AS ESCRITURAS DIZEM QUE ERA NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA.  NOTEM TAMBÉM QUE O PROPÓSITO DA REUNIÃO DELES ERA PARTIR O PÃO.  NESSE TRECHO, E REFERINDO A OUTRAS PASSAGENS (ATOS 2:42;  1 CORÍNTIOS 10:16;  11:18-34),  ESTÁ CLARO QUE ISTO SE REFERE À CEIA DO SENHOR.  OS ADVENTISTAS ARGUMENTAM QUE ELES SE REUNIRAM PORQUE PAULO PARTIRIA NO DIA SEGUINTE, MAS O TRECHO DIZ QUE ELES SE REUNIRAM PARA PARTIR O PÃO.

Errado, de novo, Gary Fisher, primeiramente, porque os versos acima não têm condição alguma para “lixar” das Rochas Sagradas das leis de Deus o Quarto Mandamento, como Já exposto. Segundo, por que já mostrei, sem possibilidade alguma de refutação,  Paulo levando toda a sua Igreja e quase toda a cidade a louvar aos sábados. Vamos rever:

 “No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.

Somente essa Verdade indiscutível anula todos os escritos presentes do pastor Fischer, ademais reuniões para partir o pão, não significavam necessariamente a representação do Grande Sacrifício de Jesus, mesmo porque não falava do vinho, pois a maioria delas se tratava da real distribuição, da partilha de bens entre os cristãos e vou provar isso.

È sabido que depois da afirmação de Jesus na qual ele prometeu que VOLTARIA antes que aquela geração passasse, os cristãos, tementes desse dia, passaram a fazer caridade em alto grau. Tudo o que tinham não era exclusivamente deles, pois os distribuíam com os que nada ou pouco tinham. Foi a era mais próspera do mundo, e essas reuniões eram usadas para partir o pão, o que que significava dividir o pão, realizando a caridade do Amor das boas obras ao semelhante.

Lembrêmo-nos do capítulo inteiro em Atos 5, tratou-se de uma reunião para o partir o pão. Nessa reunião dos apóstolos como  o povo relata, o castigo de Deus foi instantâneo contra Ananias e Safira, que haviam vendido suas propriedades e não apresentaram a Simão Pedro todo o dinheiro da venda pois, mentindo gravemente, omitiram uma parte, e deu no que deu.

Perseveraram na doutrina dos apóstolos, nas reuniões comuns, na fração do pão e nas orações. "Toda gente estava com temor". Atos dos Apóstolos, 2. 42.
O partir do pão não se dava apenas em reuniões nos salões, mas também de casa em casa:

“Perseveravam unânimes em oração no templo, partiam o pão de casa em casa e tomavam as suas refeições com alegria. Atos, 2.46.   Partir o pão no Evangelho significava realizar a caridade, também de casa em casa, e não a repetição da última ceia.

1 CORÍNTIOS 16:1-2­  "QUANTO À COLETA PARA OS SANTOS, FAZEI VÓS TAMBÉM COMO ORDENEI ÀS IGREJAS DA GALÁCIA.  NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA CADA UM DE VÓS PONHA DE PARTE, EM CASA, CONFORME A SUA PROSPERIDADE, E VÁ JUNTANDO, PARA QUE SE NÃO FAÇAM COLETAS QUANDO EU FOR."  OS PRIMEIROS CRISTÃOS, AQUI, CONTRIBUÍAM COM SEU DINHEIRO NO PRIMEIRO DIA DA SEMANA.  POR QUE SERIA FEITA A COLETA NO DOMINGO, SE OS CRISTÃOS NÃO SE REUNISSEM NESSE DIA?

Errado, de novo, pastor Fischer. O texto bíblico não cita que o resultado da coleta seria entregue num domingo. No mais, o texto não fala de dinheiro, pois como o partir do pão entre os cristãos era abrangente, assim a coleta poderia conter, também, bens materiais  tais como roupas, móveis ou congêneres e, assim, nesse caso, o trabalho dos cristãos não poderia acontecer no sábado, mas em qualquer outro dia. Assim aconteceu, também, no dia da Ressurreição de Jesus. Pela sua extrema Coerência e Perfeição, Jesus jamais poderia ter ressuscitado num sábado, pois nesse dia os anjos de Deus teriam de retirar a grande e pesada pedra que fichava o túmulo e o barro que o vedava. Um ou outro pede alegar que não seria uma agressão ao santo e abençoado sábado o fato de os anjos retirarem a pedra, mas como Deus é Perfeição e Alta Coerência e Sabedoria, não poderia desrespeitar, de forma alguma, suas próprias leis, no caso o Quarto Mandamento.
Sobretudo, essa reunião jamais foi uma representação da última Ceia, POIS NÃO FALA DE VINHO e sem vinho não dá.

Mas vamos agora expor o apóstolo Paulo, desta vez relatando, mesmo, uma reunião para partir o pão e o vinho.

I Coríntios, capítulo 11, a partir do verso 20, nos mostra, realmente, como era realizada a representação da última ceia na Igreja Primitiva. Era servido pão e vinho à vontade, e alguns cristão abusavam da fartura:

“Quando, pois, vos reunis no mesmo lugar, não é a ceia do Senhor que comeis. Porque, ao comerdes, cada um toma, antecipadamente, a sua própria ceia; e há quem tenha fome, ao passo que há também quem se embriague. Não tendes, porventura, casas onde comer e beber? Ou menosprezais a igreja de Deus e envergonhais os que nada têm”.   A continuação nos mostra que Paulo condizia o partir do pão e do vinho, em qualquer dia da semana.

NOTA 6:
RESPONDENDO A OBJEÇÕES
· JESUS GUARDOU O SÁBADO. CERTAMENTE QUE SIM.  JESUS ERA UM JUDEU NASCIDO SOB A LEI (GÁLATAS 4:4) E PORTANTO OBEDECEU A TODAS AS LEIS DO VELHO TESTAMENTO.  JESUS FOI CIRCUNCIDADO, ORDENOU A ENTREGA DE OFERENDAS AO SACERDOTE, PELA PURIFICAÇÃO, GUARDOU A PÁSCOA, ETC. (LUCAS 2:21; 5:12-14; MATEUS 26:18-19).  MAS QUANDO JESUS MORREU, ELE INAUGUROU A NOVA ALIANÇA E REVOGOU A VELHA.  SE O FATO QUE JESUS GUARDOU A PÁSCOA NÃO PROVA QUE NÓS TAMBÉM DEVERÍAMOS GUARDÁ-LA, ENTÃO O FATO QUE JESUS GUARDOU O SÁBADO NÃO PROVA QUE NÓS DEVERÍAMOS GUARDÁ-LO TAMBÉM.
SIM, PASTOR FISCHER, JESUS FEZ-SE MOSTRANDO GUARDAR O SÁBADO E TODA A LEI, EXATAMENTE PARA NOS DAR O EXEMPLO E NOS PEDIU PARA AGIRMOS IGUAL, MAS O SENHOR ENSINA O POVO A FUGIR DOS EXEMPLOS DO MESTRE:

 “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim também como eu guardo os Mandamentos de meu Pai, e no seu amor permaneço”.  João, 15.10.   Da forma que o Fischer age, faz com que o povo fuja desse preceito de Jesus, no qual o santo e abençoado sábado faz parte ativa e perpétua dos mandamentos do Pai.

· PAULO GUARDOU O SÁBADO.  AS ESCRITURAS NÃO ENSINAM ISTO.  HAVIA UM NÚMERO DE OCASIÕES EM QUE PAULO ENSINOU EM SINAGOGAS, NO SÁBADO (ATOS 18:4, POR EXEMPLO).  O SÁBADO ERA O DIA QUANDO AS PESSOAS SE JUNTAVAM NA SINAGOGA E PAULO APROVEITOU-SE DESSAS OPORTUNIDADES PARA ENSINAR MUITAS PESSOAS.  SE EU TIVESSE PERMISSÃO PARA ENSINAR LÁ, EU HAVERIA DE IR A ASSEMBLÉIAS ADVENTISTAS TODOS OS SÁBADOS.  MAS A IDA DE PAULO ÀS SINAGOGAS, PARA ENSINAR NO SÁBADO, NÃO PROVA QUE ELE GUARDOU O SÁBADO COMO UM DIA SANTO DE DESCANSO.

Errado, de novo, Gary Fisher, errou de novo, descaradamente, tentando me enrolar, pois já leu e estudou o Evangelho, mas por conveniência de sua doutrina falha, fez questão de omitir os versos onde prova, incontestavelmente, Paulo levando a sua Igreja e até quase a cidade toda a louvar aos sábados e nunca num só domingo. Lembremos que tais santos fatos ocorreram décadas após a Ressurreição de Jesus.

“No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 
Se os judeus encheram-se de inveja não se tratava de uma reunião judia aos sábados, pois aconteceu ao ar livre, junto a um rio, E NÃO NAS SINAGOGAS JUDIAS pois é evidente que, quase toda a cidade não caberia num salão ou num templo, então, está claro que essa reunião, para adoração, no santo dia do Senhor, foi realizada ao ar livre.

Pobre pastor Fischer, POR QUE O SENHOR FUGIU DESSES VERSOS divinos acima e de outros mais que revelam a Igreja Primitiva de Jesus SANTIFICAVA OS SÁBADOS?  Os versos que acima coloquei não são indícios pálidos nem suposições da santificação dos sábados pela Igreja Primitiva, como as que o senhor apresentou quanto ao domingo, mas fatos divinos indiscutíveis que provam que o Sétimo Dia sempre foi e será sempre o Dia do Senhor, acolhido por todos os cristãos, pelo menos até o início do século quarto, antes da corrupção dos líderes cristãos sob a tutela de Constantino, quando, a partir do século quinto, na fundação do catolicismo e dos “Sumos Pontífices”, com o passar dos séculos, pelo Concílio de Toulouse, na França, os papas se deram licença para torturar, para matar todos aqueles que ousassem não se submeter a eles e à sua doutrina católica lotada de erros e de invenções nada bíblicas, assim também como nesse Concílio decretaram a pena de morte a qualquer ser que fosse flagrado lendo a Bíblia ou simples partes delas:

"Proibimos os leigos de possuírem o Velho e o Novo Testamento (...) Proibimos ainda mais severamente que estes livros sejam possuídos no vernáculo popular. As casas, os mais humildes lugares de esconderijo, e mesmo os retiros subterrâneos de homens condenados por possuírem as Escrituras devem ser inteiramente destruídos. Tais homens devem ser perseguidos e caçados nas florestas e cavernas, e qualquer que os abrigar será severamente punido”.(Concílio de Tolouse, 1229, naFrança. Na gestão do Papa Gregório IX,1229, Canons 14:2).

Essas conclusões dos bispos estão ainda arquivados na Biblioteca Imperial de Paris, Fólio B, número 1088, vol. 2, páginas 641 a 650.  A parte final dessas conclusões reza o seguinte:

“Finalmente (de todos os conselhos que bem nos pareceu dar a Vossa Santidade, deixamos para o fim o mais necessário), nisto Vossa Santidade deve pôr toda a atenção e cuidado de permitir o menos que se que possível a leitura do Evangelho, especialmente na língua vulgar, em todos os países sob vossa jurisdição. O pouco dele que se costuma ler na Missa, deve ser o suficiente; mais do que isso não deve ser permitido a ninguém.

Enquanto os homens estiverem satisfeitos com esse pouco, os interesses de Vossa Santidade prosperarão, mas quando eles desejarem mais, tais interesses declinarão. Em suma, aquele livro (a Bíblia), mais do que qualquer outro, tem levantado contra nós esses torvelinhos e tempestades, dos quais meramente escapamos de ser totalmente destruídos. De fato, se alguém o examinar cuidadosamente, logo descobrirá o desacordo, e verá que a nossa doutrina é muitas vezes diferente da doutrina dele, e em outras é até contrária a ele; o que se o povo souber, não deixará de clamar contra nós, e seremos objetos de escárnio e ódio geral. Portanto, é necessário tirar esse livro das vistas do povo, mas com grande cuidado, para não provocar tumultos”. Assinam Bolonie, 20 Octobis 1553 - Vicentius De Durtantibus, Egidus Falceta, Gerardus Busdragus.

“Esses decretos foram seguidos durante quase mais de 600 anos, com inenarráveis castigos aos mártires de Jesus, quando o sangue deles e de outros correu como água”. Fonte: L. Gaussen, Le Canon dês Sanites Ecritures, parte 2, livro 2, cap. 7.

· PARA SEMPRE.  NO VELHO TESTAMENTO, O SÁBADO ERA "POR ALIANÇA PERPÉTUA NAS SUAS GERAÇÕES" E "ENTRE MIM E OS FILHOS DE ISRAEL É SINAL PARA SEMPRE" (ÊXODO 31:16-17).  OS ADVENTISTAS ARGUMENTAM QUE ESTES TERMOS MOSTRAM QUE A GUARDA DO SÁBADO SEMANAL NUNCA TERMINARÁ (DESCANSAREMOS NO CÉU, TAMBÉM?).  MAS O VERDADEIRO SIGNIFICADO DE "PARA SEMPRE" E "PERPÉTUA", NESTE TRECHO, É LIMITADO POR "NAS SUAS GERAÇÕES".  ESTAS EXPRESSÕES SIGNIFICAM "DURAÇÃO DE UMA ERA".  OUTROS MANDAMENTOS DO VELHO TESTAMENTO FORAM "PARA SEMPRE":  POR EXEMPLO, A PÁSCOA (ÊXODO 12:24).  MUITOS MANDAMENTOS DO VELHO TESTAMENTO FORAM "PERPÉTUOS":  A QUEIMA DO INCENSO (ÊXODO 30:21), O SACERDÓCIO LEVÍTICO (ÊXODO 40:15), AS OFERTAS DE PAZ (LEVÍTICO 3:17), A PARTE DOS SACERDOTES NOS SACRIFÍCIOS (LEVÍTICO 6:18, 22;  7:34, 36),  O SACRIFÍCIO ANUAL DE ANIMAIS PELA EXPIAÇÃO  DOS PECADOS (LEVÍTICO 16:29, 31,34), ETC.  OS ADVENTISTAS, NORMALMENTE, NÃO ENSINAM QUE SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS, QUEIMA DE INCENSO OU A GUARDA DA PÁSCOA TÊM QUE SER CONTINUADOS HOJE;  PORQUE, ENTÃO, DEVERIAM ELES ARGUMENTAR QUE A GUARDA DO SÁBADO TEM QUE SER CONTINUADA HOJE?

Errado, de novo, Gary Fisher, você está contestando Deus, pois se ele escreveu que suas leis são perpétuas, isso significa que tem de valer até a Consumação dos Séculos, assim como bradou Jesu no serão do monte. Fora as leis provisórias em Levítico, criadas pra regular as ações  dos teimosos hebreus israelitas nos sofridos 40 anos do deserto, tudo relacionado ao decálogo é para sempre, pois o mesmo Jesus legitimou isso ao bradar, à Humanidade, também sobre um monte, que poderão ser destruídos todo o Universo antes que das leis do Pai se consiga retirar só caractere, e a lei do sábado tem 433 caracteres.

Separe do Decálogo as leis que não tiveram lugar no Evangelho, pois nos escravizariam e até nos matariam, por isso mesmo só vigoraram na época das TREVAS, até João Batista. Lucas 16:16.

A frase acima. em negrito, colocada pelo Fischer é simplesmente ridícula, pois não é possível comparar os santos, solenes e benditos sábados do Senhor com as leis retrógradas que, por isso mesmo, só vigoraram até João (Lucas 16:16).  Vamos à Promulgações de Deus absolutamente perpétuas:

“Então me lembrarei da minha aliança, que está entre mim e vós, e entre toda a alma vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne. E estará o arco nas nuvens, e eu o verei, para me lembrar da aliança eterna entre Deus e toda a alma vivente de toda a carne, que está sobre a terra.  E disse Deus a Noé: Este é o sinal da aliança que tenho estabelecido entre mim e entre toda a carne que está sobre a terra”. Gênesis 9:15.

E não adianta alegar que o Decálogo do Monte Sagrado de Deus foi dado apenas aos israelitas, pois a Verdade de Deus é diferente e, como sempre, é inequívoca, e por ela nos fez herdeiros dos israelitas:

“E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas  e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”.  Atos dos Apóstolos 3:24 – 25

Abaixo, novamente o Decálogo é nomeado pelo Senhor Deus como perpétuo:

“... se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:26

Abaixo, nós fomos nomeados pelo Espírito santo de Deus como herdeiros dos israelitas. Os herdeiros herdam as bênçãos, mas também as obrigações, e os Mandamentos de Deus são reais obrigações:

“Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”.  Romanos, 2:12.  Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!


· JESUS NÃO VEIO PARA REVOGAR A LEI.  MATEUS 5:17-18 DIZ: "NÃO PENSEIS QUE VIM REVOGAR A LEI OU OS PROFETAS:  NÃO VIM PARA REVOGAR; VIM PARA CUMPRIR.  PORQUE EM VERDADE VOS DIGO:  ATÉ QUE O CÉU E A TERRA PASSEM, NEM UM I OU UM TIL JAMAIS PASSARÁ DA LEI, ATÉ QUE TUDO SE CUMPRA."  NESTE TRECHO, JESUS ESTÁ ENSINANDO QUE SEU PROPÓSITO NÃO ERA CONTRA A LEI.  ELE NÃO VEIO PARA DEMOLIR OU DESTRUIR A LEI.  DE FATO, ELE ERA O CUMPRIMENTO DA LEI.  A LEI PREDISSE A VINDA DE CRISTO E A NOVA ALIANÇA QUE ELE HAVERIA DE TRAZER.  ESTA PASSAGEM NÃO ESTÁ, CERTAMENTE, ENSINANDO QUE CADA "I" OU "TIL" DA LEI  OBRIGARIA PARA SEMPRE;  NEM OS ADVENTISTAS AFIRMAM ISSO.  MAS EM VEZ DISSO, QUE TODA A LEI E OS PROFETAS HAVERIAM DE DESEMPENHAR SUAS FUNÇÕES PROPOSTAS, ATÉ O SEU CUMPRIMENTO.


Errado, de novo, Gary Fisher, com sempre em todas as suas colocações equivocadas, pois Jesus bradou que os Céus e a Terra poderão passar antes que das leis se consiga retirar um simples til, e nos versos seguintes, até 28, nos conclama a guardarmos as leis (do Decálogo) e ainda aumenta a carga de observação de alguns dos mandamentos, como já exibi acima.  Na continuação, Jesus exige dos cristãos que pretendem segui-lo:

 “Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus”.      Jesus, no Sermão do Monte, em Mateus 5:18-19, realçando, novamente o Decálogo de Deus também no Evangelho.

· JESUS DISSE PARA ORAREM PARA QUE SUA FUGA NÃO FOSSE NO SÁBADO.  MATEUS 24:20 DIZ: "ORAI PARA QUE A VOSSA FUGA NÃO SE DÊ NO INVERNO, NEM NO SÁBADO."  NESSE TRECHO, JESUS ESTAVA CONSIDERANDO A IMINENTE DESTRUIÇÃO DE JERUSALÉM.  ELE DEU AOS SEUS DISCÍPULOS O SINAL PELO QUAL ELES PODERIAM SABER QUANDO A HORA DE FUGIR HOUVESSE CHEGADO.  E ELE OS ACONSELHOU A ORAR PARA QUE SUA FUGA NÃO VIESSE EM UM TEMPO DIFÍCIL.  HAVIA VÁRIAS RAZÕES PORQUE SERIA MAIS DIFÍCIL FUGIR NO SÁBADO.  NORMALMENTE, OS JUDEUS TRANCAVAM AS PORTAS DA CIDADE NO SÁBADO, E PODERIAM SER IMPEDIDOS EM SUA FUGA POR JUDEUS FANÁTICOS; O SÁBADO DIFICULTARIA A CAPACIDADE DOS CRISTÃOS PARA COMPRAR OS MANTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA A FUGA.  QUANDO JESUS OS AVISOU PARA QUE ORASSEM PARA QUE A FUGA NÃO FOSSE NUM DIA DE SÁBADO OU NO INVERNO, ELE NÃO ESTAVA ADMITINDO QUE OS CRISTÃO
S DEVERIA GUARDAR O SÁBADO, MAIS DO QUE DEVERIAM GUARDAR O INVERNO
.
Totalmente errado, de novo, Gary Fisher, o que revela sua inoperância e fraqueza espiritual. Vamos colocar o verso todo:

“Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”. 

No inverno que é muito frio e nem no sábado que foi feito para a santificação.

No texto do Fischer, colocado acima em negrito, Jesus não deu sinal algum aos seus discípulos, mas apenas profetizou o que aconteceria no futuro com o povo da Judeia. A sua colocação abaixo ultrapassa os limites do ridículo. Vamos ao texto:

NORMALMENTE, OS JUDEUS TRANCAVAM AS PORTAS DA CIDADE NO SÁBADO, E PODERIAM SER IMPEDIDOS EM SUA FUGA POR JUDEUS FANÁTICOS; O SÁBADO DIFICULTARIA A CAPACIDADE DOS CRISTÃOS PARA COMPRAR OS MANTIMENTOS NECESSÁRIOS PARA A FUGA.  QUANDO JESUS OS AVISOU PARA QUE ORASSEM PARA QUE A FUGA NÃO FOSSE NUM DIA DE SÁBADO OU NO INVERNO, ELE NÃO ESTAVA ADMITINDO QUE OS CRISTÃOS DEVERIAM GUARDAR O SÁBADO, MAIS DO QUE DEVERIAM GUARDAR O INVERNO.

Os judeus não trancavam as portas de suas casas aos sábados,Isso não está escrito em lugar algum, portanto o Fisher INVENTOU. Portanto, nada a ver com a dificuldade de comprar alimentos na cidade, e o que Fischer não colocou é que os judeus cristãos ou não jamais fariam compras soa sábados, sob quaisquer circunstâncias. Então fica ANULADA a sua colocação a respeito da fuga aos sábados. Vamos à interpretação correta, segundo as Escrituras, que mostra que novamente Jesus legitimou o santo e sagrado sábado de Deus:

Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70, no episódio MaSsada, no qual mais de um milhão de judeus foram massacrados pelos invasores romanos), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.  Nesse evento, cumpriu-se a profecia de Daniel e exibe a explicação de Jesus quando falou: “Ai das mulheres grávidas e das que amamentam”, pois os soldados romanos rasgavam o ventre das mulheres grávidas para que não mais nascessem novos judeus israelitas e quanto às mulheres que amamentavam, eles tomavam seus filhos pequenos e os lançavam fortemente aos muros. Conta História Universal que depois dessa catástrofe terrível, a Judeia passou a não mais existir.
Mas porque o Senhor Deus permitiu isso? Não sou profeta, mas creio ser fácil entender. Quando Jesus estava sendo julgado por Pilatos, o povo judeu invocou maldições para ele mesmo:
“E, respondendo o presidente, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. Disse-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado.  O presidente, porém, disse: Mas que mal fez ele? E eles mais clamavam, dizendo: Seja crucificado. Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água, lavou as mãos diante da multidão, dizendo: Estou inocente do sangue deste justo. Considerai isso.  E, respondendo todo o povo, disse: Que o seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos. Mateus 27:21-25.  Não sei de tudo, mas é fácil concluir o que relatei: segundo o pedido deles, o sangue recaiu sobre eles e seus filhos, começando pelo episódio MASSADA, no qual foram exterminados mais de um milhão de judeus.
O PAPA MUDOU O SÁBADO. QUANDO OS ARGUMENTOS DA BÍBLIA LHES FALHAM, OS ADVENTISTAS GOSTAM DE TENTAR PROVAR QUE OS PRIMEIROS CRISTÃOS GUARDAVAM O SÁBADO, MAS QUE ESTA GUARDA FOI MAIS TARDE MUDADA PARA O DOMINGO, PELA IGREJA CATÓLICA.  MESMO DESCONTANDO A EVIDÊNCIA DA BÍBLIA, ESTA AFIRMAÇÃO PODE SER DESMENTIDA HISTORICAMENTE.  TANTO INÁCIO COMO JUSTINO MÁRTIR SE REFEREM AOS CRISTÃOS ADORANDO NO DOMINGO E ELES ESCREVERAM NO SEGUNDO SÉCULO, MUITO ANTES DE HAVER UM PAPA OU UMA IGREJA CATÓLICA.  MAS PESQUISAR ATRAVÉS DE DOCUMENTOS HISTÓRICOS É DESNECESSÁRIO.  A BÍBLIA DECIDE A QUESTÃO E ISSO DEVERIA SER SUFICIENTE PARA AQUELES QUE TÊM FÉ EM DEUS.


FONTS: ATTIAS, JEAN CHRISTOPHE; BENBASSA, ESTHER, DICTIONAIRE CIVILIZACION JÜIVE.  COMAY, JOAN, THE DIASPORA STORY JOHNSON, PAUL, HISTÓRIA DOS JUDEUS.  ENCYCLOPEDIA JUDAICA.

Absolutamente errado, novamente, pobre pastor Gary Fisher. Isso prova que você não estudou a História Universal e as Raízes da Igreja, e se estudou e sabe, está se colocando no grupo de fariseus e até dos hipócritas, pois é sabido que  OS  PAPAS MUDARAM O SÁBADO PARA DOMINGO.  Pelo Concílio de Laodicéia, ano 364, o papa decretou a proibição de os católicos guardarem o sábado que vinha sendo guardado desde os tempos da Igreja Primitiva, desde os apóstolos de Jesus, e ainda, para mostrar que verdadeiramente o papado romano sempre serviu a Satanas, decretou, ainda que fossem perseguidos todos aqueles que teimassem em guardar o sábado.

Vamos ver porque e as provas disso:


 Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366.  Idem, idem.

 “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado”. Catecismo católico, Edição 2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.  Idem, idem.

Pelo Concílio de Laodicéia (século IV) o papado romano iniciou um processo que certamente gerenciado por Satanás, levaria à proibição final de os cristãos guardarem o sábado, enquanto o domingo ia sendo cada vez mais valorizado, fazendo valer as profecias de Deus por Daniel:
“E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo”.  Daniel 7:25

Quanto a isso, Summerbell, historiador dos discípulos de Cristo e da igreja cristã, escreveu:
"A igreja Romana havia se apostatado totalmente... Ela alterou o Quarto Mandamento, trocando o descanso do sábado, ordenado pela Palavra de Deus, ao instituir o domingo como Dia Santo do Senhor". A True History of the Christian and the Christian Church, pg. 417.

Novamente a débil fragilidade espiritual dos escritores católicos que em sua heresia atribuem a criação do dia de descanso aos papas católicos:

“Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366.  Uma imensa agressão a Deus!

“Deus simplesmente concedeu à Sua Igreja o poder para dispor de qualquer dia ou dias que achar apropriado(s) como dia(s) sagrado(s). A Igreja escolheu o domingo, primeiro dia da semana e, no decurso dos anos, adicionou outros como dias sagrados (dias de santos e santas. Fonte: Forbidden Sunday and Feast-Day Occupations, de Vicent J. Kelly, pág. 2. Uma idiotice gigantesca que mostra mais um ato satânico dos papas! Órgão oficial do Cardeal James Gibbons, o Catholic Mirror, de 23 de nov. de 1893:

“A Igreja, em virtude de sua divina missão, mudou a solenidade do dia de sábado para o domingo.” The Christian Sabbath, pg. 29 a 32. Divina missão?   Satânica missão, com certeza absoluta!

“A Igreja Católica, por sua própria infalível autoridade, criou o domingo como dia santificado para substituir o sábado, da velha lei.”  Extraído de Kansas City Catholic, de 9 de fevereiro de 1893.    Mais uma prova que Satanás esteve e sempre estará no comando do Vaticano e consequentemente do catolicismo.

  “É melhor buscar refúgio no Senhor, que confiar nos homens”. Salmos 118:8.

Os estudiosos da História sabem que, não os cristãos das catacumbas antes do ano 313, mas os papas instituídos no século quinto quando foi nomeada a Igreja Católica, o clero simplesmente odiava os judeus, com a deslavada desculpa de que eles assassinaram Jesus Cristo. Os papas e seus exércitos armados obrigaram os judeus a viverem confinados em guetos e eram constantemente humilhados. Tal barbaridade espalhou-se por toda a Velha Europa e instigou o ódio aos judeus por todo o mundo.
Ao tempo dos seis séculos da pavorosa Inquisição, os judeus não podiam serem queimados vivos, assim como os mártires de Jesus, mas o clero, nas missas, acorrentava um judeu na porta do templo e todo os católicos tinham a obrigação de cuspir nele e de acusá-lo de assassino de Cristo (bibliografia abaixo).

Os papas repudiavam o povo judeu e isso aconteceu no nosso tempo 02 de março de 1939, em plena Guerra Mundial, e no dia seguinte, seu primeiro ato como “papa de Deus” racista e antissemitista, foi o de decretar que fossem expulsos de todos os colégios ligados ao Vaticano, todos os alunos e professores filhos de judeus. Para piorar, todos perderam o ano letivo.

Esse ódio aos judeus pelo clero católico se espalhou por todo o mundo, e terríveis perseguições a eles aconteceram.

Em 1095, o Papa Urbano II, organizou a primeira Cruzada e “profetizou” num discurso no Concílio de Clermont: "[...]tomai o caminho do Santo Sepulcro; arrebatai aquela terra à raça  perversa e submetei-a a vós mesmos".   Os baderneiros, assassinos e estupradores cruzados avançaram sobre Jerusalém e a carnificina foi terrível, pois futuramente se comentava que o sangue dos executados chegava aos joelhos dos cavalos, e nesse meio havia muitos judeus.

Agora, estabelecido o ódio que os papas tinham dos judeus, a cada concílio católico o sábado ia sendo menosprezado e o domingo cada vez mais elogiado e exaltado, o que culminou na erradicação total do sábado a favor do tal domingo, na desculpa esfarrapada que os cristãos tinham de guardar o grande dia da Ressurreição de Jesus, como se isso se sobrepusesse à Morte de Jesus, quando, de fato, a Humanidade foi resgatada, foi redimida do pecado e aos que merecerem os Portais do Reino de Deus serão abertos no Grande Dia da Volta de Jesus.

O puritano William Prynne confessa francamente: “O sábado do sétimo dia foi observado por Cristo, pelos apóstolos e pelos primeiros cristãos até que o Concílio de Laodicéia, século Quarto, há certos respeitos como o que aboliu a sua observância. O Concilio de Laodicéia decidiu, em primeiro lugar, a observância do Dia do Senhor, no caso o domingo, e em seguida proibiu sob pena de maldição a observância do sábado judaico.”  Fonte:  “História dos Concílios”, par. 38, pág. 163, tudo isso para não se parecer, em nada, aos judeus. Assim o forte vínculo que o papado romano tinha com os judeus foi abolido, sob aplausos de Satanás. Que havia maquinado bastante para isso! 

O Profeta Daniel já havia profetizado a mudança do sábado para o domingo:

Pelo Concílio de Laodicéia (século IV) o papado romano iniciou um processo que certamente gerenciado por Satanás, levaria à proibição final de os cristãos guardarem o sábado, enquanto o domingo ia sendo cada vez mais valorizado, fazendo valer as profecias de Deus por Daniel:

E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo”.  Daniel 7:25 Os santos do altíssimo eram os santos vivos, os justos de Deus.

O professor de História Eclesiástica Edward Brerewood, do Gresham College, Londres, afirma:

“O sábado foi religiosamente observado na Igreja do Oriente, durante mais de trezentos anos depois da paixão do Salvador.” Fonte: “Learned Treatise of the Sabbath”, pág. 77.

Então, foram, realmente, os papas católicos, já havia tempos sendo servos de Satanás que, para que se cumprissem as profecias do Apocalipse, “lixassem” das Rochas Sagradas do Senhor Deus os dois principais mandamentos: O segundo e o Quarto.

“E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo”.  Apocalipse 12:17

“E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação”.  Apocalipse 13:7.

Para encerramos, vamos colocar alguns fatos históricos que provam que o clero católico “trocou” o dia de sábado pelo domingo.

"O Papa é de tão grande autoridade e de um poder tão grande que pode modificar, explicar ou interpretar mesmo as leis divinas... O Papa pode alterar a lei divina, visto que o seu poder não procede do homem, mas do próprio Deus, e atua como vice regente de Deus sobre a Terra, com amplitude de poder para atar e desatar os membros de sua grei (seu santo povo)", “Manifesto do Papa II, Lucius Ferraris, Prompta Bibliotheca, v. 6, pg. 25).  

“Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366.  Uma imensa agressão a Deus!

“Deus simplesmente concedeu à Sua Igreja o poder para dispor de qualquer dia ou dias que achar apropriado(s) como dia(s) sagrado(s). A Igreja escolheu o domingo, primeiro dia da semana e, no decurso dos anos, adicionou outros como dias sagrados (dias de santos e santas. Fonte: Forbidden Sunday and Feast-Day Occupations, de Vicent J. Kelly, pág. 2. Uma idiotice gigantesca que mostra mais um ato satânico dos papas! Órgão oficial do Cardeal James Gibbons, o Catholic Mirror, de 23 de nov. de 1893:

“A Igreja, em virtude de sua divina missão, mudou a solenidade do dia de sábado para o domingo.” The Christian Sabbath, pg. 29 a 32. Divina missão?   Satânica missão, com certeza absoluta!

“A Igreja Católica, por sua própria infalível autoridade, criou o domingo como dia santificado para substituir o sábado, da velha lei.”  Extraído de Kansas City Catholic, de 9 de fevereiro de 1893.    Mais uma prova que Satanás esteve e sempre estará no comando do Vaticano e consequentemente do catolicismo

“Em parte nenhuma (da Bíblia) figura o domingo como dia do Senhor... Nós, católicos romanos, guardamos o domingo em lembrança da ressurreição de Cristo, e por ordem do chefe da nossa Igreja, que preceituou tal ordem do sábado ser do Antigo Testamento, e não obrigar mais no Novo Testamento.”   Ataques Protestantes. Padre Júlio Maria, pg. 81. Mais uma gigantesca heresia católica!

O Decálogo preceitua guardar os sábados e não os domingos. Foi a Igreja Católica... que transmudou os dias.” O Culto das Imagens, pag. 45. Pe Etiene Ignace Brasil. O clero católico se condenando!

Vamos ver as declarações dos papas, filhos do Diabo, que “lixaram” das Rochas Sagradas das leis dos dos mandamentos de Deus:

"...Nós detemos nesta terra o lugar de Deus Todo-Poderoso..."  O Papa Leão XIII, em Praeclara Gratulationis Publicae. A Reunião da Cristandade. Encíclica promulgada em 20 de Junho de 1894.   

"O Papa é de tão grande autoridade e de um poder tão grande que pode modificar, explicar ou interpretar mesmo as leis divinas... O Papa pode alterar a lei divina, visto que o seu poder não procede do homem, mas do próprio Deus, e atua como vice regente de Deus sobre a Terra com amplitude de poder para atar e desatar os membros de sua grei (santo povo)", “Manifesto do Papa II, Lucius Ferraris, Prompta Bibliotheca, v. 6, pg. 25).  

Não somos simples mortais. Ocupamos na terra o lugar de Deus, estamos acima dos anjos e somos superiores a Maria, mãe de Deus, porque ela deu a luz a um Cristo somente, mas nós, podemos fazer quantos Cristos quisermos”.  Afirmações do Papa “São” Pio IX, ao final do século 19, o papa “São” Pio IX, graças ao “santificador” João Paulo II. Gazeta da Alemanha número 21 do ano de 1870
 
"Crer que nosso Senhor Deus, o Papa, não tem poder para decretar assim como ele tem decretado, deve ser considerado heresia." “Nosso Senhor Deus, o Papa”. "Dominum Deem nastrum Papam".    O Brilho dos Extravagantes (2) do Papa João XXII, Inter, título 14, capítulo 4, "Ad Callem Sexti Decretalium", Coluna 140, Paris, 1685. (Em uma edição de Antuérpia dos Extravagantes, as palavras, "Dominum Deum Nostrum Papam". "Nosso Senhor Deus o Papa", podem ser encontradas na coluna 153).  
Porque ele é o vigário de Cristo, que é o "mesmo Deus e o mesmo homem". Decretal D. Gregor. Pap. IX. lib. 1. de translat. Episc. tit. 7 c. 3. Corp. Jur. Canon. ed. Paris, 1612; tom. II Decretal. col. 205.  
 
“Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus”.    2 Tessalonicenses 2:3 e 4

 “A Igreja de Deus, porém, achou conveniente transferir para o domingo a solene celebração do sábado. Catecismo católico, Edição 2, Editora Vozes, Petrópolis, RJ. 1962.


Não o Criador do Universo, em Gênesis 2, mas a Igreja Católica pode reivindicar para si a honra de haver outorgado ao homem um repouso a cada sete dias. Storia della Domenica, S.D. Mosna, de 1969, pg. 366.  

 “É melhor buscar refúgio no Senhor, que confiar nos homens”. Salmos 118:8.

Waldecy Antonio Simões    walasi@uol.com.br


Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados


Meus Blogs:














http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/




























                                                          


























































 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43